Aracaju (SE), 13 de agosto de 2022
POR: Assessoria Maria Mendonça
Fonte: Assessoria Maria Mendonça
Em: 10/06/2022 às 08h01
Pub.: 10 de junho de 2022

"A dor machuca, não só o corpo e a mente, mas a dignidade do cidadão", afirmou Maria Mendonça


A deputada estadual Maria Mendonça (PDT) defendeu a necessidade de “largar mão do preconceito" e abrir espaços para os debates sobre o uso terapêutico da Cannabis Sativa que tem, cientificamente, revelado bons resultados no tratamento de diversas doenças, como o câncer, a esquizofrenia e o mal de Parkinson.


A deputada estadual Maria Mendonça, o advogado Maurício Lobo e a médica Mirene Morais - Foto: Assessoria Maria Mendonça

A deputada estadual Maria Mendonça, o advogado Maurício Lobo e a médica Mirene Morais - Foto: Assessoria Maria Mendonça


“A ciência tem demonstrado que o uso dessas ferramentas tem sido eficiente no tratamento de milhões de pessoas no mundo. Nós sergipanos, não podemos continuar alheios ao tema e nem fechar os olhos para o que acontece em termos de resultados positivos”, destacou Maria, durante as palestras proferidas pela médica Mirene Morais e pelo advogado Maurício Lobo, no plenário da Assembleia Legislativa, no final da manhã de ontem.


Ao ressaltar que “a dor machuca, não só o corpo e a mente, mas a dignidade do cidadão”, a deputada observou que o uso terapêutico dos componentes da planta pode ser um forte aliado das políticas públicas de saúde, inclusive algumas já existentes. 


No seu entender é preciso dar celeridade à discussão e a votação das matérias que existem no Congresso Nacional, especialmente, o Projeto de Lei (PL) 399/2015, de autoria do deputado Fábio Mitidieri, que visa regulamentar o plantio da Cannabis para utilização terapêutica e o comércio de medicamentos à base de canabinoides.


“Conheci algumas nuances importantes sobre o uso da terapia canábica e estarei à disposição para mobilizar a sociedade a participar desse debate”, declarou Maria, citando o testemunho de Everton Batista, pai de duas crianças com transtorno do espectro autista que usam a Cannabis medicinal.


"Após a palestra, esse pai nos procurou para contar que, foi através da Cannabis, que as filhas melhoram a interação com outras crianças, passaram a se alimentar melhor e a dormir, pois, também sofriam com transtorno do sono". Para Maria Mendonça, assim como Everton, existem inúmeros outros cidadãos vivendo essa experiência e, muitas vezes, sem saber a quem recorrer para garantir qualidade de vida aos que os que padecem com essas doenças.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação