Aracaju (SE), 15 de agosto de 2022
POR: Raquel Teixeira Passos
Fonte: Assessoria Unit
Em: 10/01/2022 às 08h01
Pub.: 10 de janeiro de 2022

Camarão: iguaria presente na gastronomia regional


Qual o cenário propício para consumir uma bela moqueca de camarão? Seja à beira do mar calmo e tranquilo de Sergipe ou nos mais sofisticados restaurantes, essa iguaria está presente. Afinal, o camarão não se resume ao ambiente litorâneo, pois é produzido em grande escala em viveiros (água doce), nas mais diversas regiões do país, o que ainda aquece a economia. 


Isabelle Brito, coordenadora pedagógica do curso de Gastronomia e professora da disciplina Cozinha Regional Nordestina (Foto: Assessoria Unit)

Isabelle Brito, coordenadora pedagógica do curso de Gastronomia e professora da disciplina Cozinha Regional Nordestina (Foto: Assessoria Unit)

Aliás, não só o camarão e demais frutos do mar, mas a comida nordestina como um todo tem a dicotomia bem marcada entre o litoral e o sertão. “Tem camarão de água salgada, de água doce (viveiro) e ainda tem camarão defumado (conhecido como camarão seco). Mas é no litoral onde há predominância de peixes e frutos do mar nas receitas. Porque no sertão, o uso das proteínas derivadas da pecuária como a carne seca, queijo, leite e etc é mais comum”, explica a coordenadora pedagógica do curso de Gastronomia e professora da disciplina Cozinha Regional Nordestina, Isabelle Brito. 


Tamanha diversidade e flexibilidade nos modos de preparo gastronômico do camarão fazem dele uma iguaria presente em lares das mais variadas classes econômicas. “Sem contar que cada estado também tem uma receita característica em relação ao uso do camarão. No sul e sudeste, por exemplo, a iguaria é muito utilizada em ensopados, enquanto que o nordestino gosta mesmo é de moquecas. O modo da apresentação pode mudar, mas o camarão sempre estará presente”, avalia Isabelle Brito.


Diversas produções gastronômicas
Para além da moqueca, muita gente curte um camarão no alho e óleo (com casca), ou empanado na farinha de tapioca (outro elemento regional que dá mais crocância ao prato); ou mesmo aquele que é produzido na moranga (nosso jerimum ou abóbora) com um creme de camarão. Sem contar no bobó e caldinho de camarão que são peças-chave de muitas reuniões de amigos e familiares.


Camarão é tão versátil que ele vira, facilmente, recheio de salgados diversos, do risole ao canapé, até pratos mais sofisticados como risoto e fricassé.


“Não tem jeito. Ele está presente na culinária pela sua diversidade e possibilidades de produções gastronômicas", revela a professora da Unit, Isabelle Brito.


Virou meme
O presidente Jair Bolsonaro (PL) teve alta hospitalar no último dia 05, depois de dois dias de internação no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Segundo seu médico, um camarão não mastigado causou uma obstrução intestinal, que se desfez sem cirurgia. Em paralelo, o assunto bombou nas redes sociais, com internautas ironizando a situação fazendo uso de memes alusivos ao camarão e ao problema do presidente. 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação