Aracaju (SE), 04 de julho de 2022
POR: Marcio Rocha
Fonte: Marcio Rocha
Em: 08/04/2022 às 11h18
Pub.: 11 de abril de 2022

Geração de emprego reduz inadimplência dos sergipanos :: Por Marcio Rocha


A recuperação dos empregos perdidos durante a pandemia e o crescimento considerável no ano de 2021 levaram Sergipe a ter o menor indicador de inadimplência da série histórica pesquisada pela CNC e balizada pela Fecomércio Sergipe. Com mais de 15 mil novos postos de trabalho criados em 2021, e o saldo positivo do início de 2022, as pessoas estão com melhores condições de pagamento de suas dívidas, reduzindo significativamente a inadimplência das famílias para o patamar de 4,5%, menor já apurado. Ter uma dívida é fato comum nas vidas de todos. Afinal, temos compromissos mensais a pagar e investimos nosso dinheiro no mercado de consumo, alimentando a roda da economia por meio das compras de bens e serviços que fazemos todos os dias. Os recursos injetados voltam para as famílias no formato de salários dos postos de trabalho gerados pelas empresas. Saber que estamos na menor condição de inadimplência da história é importante para entendermos como o mercado de trabalho voltou a se comportar de modo positivo. 


Sobre as dívidas, as pessoas possuem mais de uma modalidade de pagamento ou operação de contração de compromissos. Quem usa o cartão de crédito, também pode ter dívidas de outros tipos, o que é perfeitamente natural na vida das famílias, já que o cartão é o modal de pagamento mais utilizado. As mesmas famílias possuem carro ou moto financiada, casa ou apartamento financiado, crédito pessoal, cheque especial, ou quaisquer outra das nove variáveis estudadas que se consideram dívida. É importante ressaltar que ter uma dívida no cartão de crédito, por exemplo, não é ruim. Pois são as compras no comércio e nos serviços que movimentam a economia e fortalecem a geração de emprego. O problema é perder o controle e ter mais dívidas que a capacidade de pagamento, mas temos visto que desde o início da pandemia, essa situação está controlada.


Banese em alta
A Fitch Ratings, uma das três maiores agências mundiais de classificação de risco, elevou o Rating Nacional de Longo Prazo do Banese de “A-(bra)” para “AA-(bra)”, com Perspectiva Estável. Isso reflete a melhora da capacidade de suporte do principal acionista da instituição, o governo do Estado, cujo perfil de crédito é avaliado internamente pela Fitch.O Rating é uma “nota” emitida por agências classificadoras de risco, que avaliam a situação financeira do emissor (que podem ser empresas, bancos, financeiras etc.) e a capacidade que possuem de honrar as obrigações financeiras dentro do prazo. Quanto maior a nota, menor será o risco dos títulos da instituição.


Crédito ao agronegócio em Sergipe gera 22 mil empregos
Os recursos aplicados pelo Banco do Nordeste em projetos de agronegócios em Sergipe geraram cerca de 22 mil empregos, entre formais e informais. A estimativa é do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), que realizou estudo de impactos econômicos das contratações com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para os segmentos agrícola, pecuária e agroindústria realizadas em 2021. Para isso, foram considerados os R$ 426 milhões investidos pelo BNB nesses segmentos, no ano passado. Como consequência, outros impactos econômicos positivos também foram verificados pelo Etene, como o crescimento da massa salarial de R$ 129 milhões. A aplicação dos recursos do FNE, em virtude dos reflexos positivos na economia, promoveu elevação na arrecadação tributária de R$ 41 milhões.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação