10 de julho de 2019
POR: Ferreira Filho
Fonte: Ferreira Filho
Em: 10/07/2019 às 06h27

Saúde despejada



Quarta-feira, 10 de julho de 2019


Taj Mahal - Imagem ilustrativa: reprodução/YouTube/LoucoporViagens

Taj Mahal - Imagem ilustrativa: reprodução/YouTube/LoucoporViagens

Saúde despejada


Confesso que relutei um pouco para escrever algo sobre a decisão de "Despejo" da secretaria da saúde do atual prédio localizado na Av. Rio de Janeiro, conhecido como Taj Mahal.


É que estive assessorando o órgão exatamente no período da transição, quando deixava o antigo Serigy na Praça General Valadão, e se instalava onde hoje se encontra. Como se trata de uma questão pública, não tinha o direito de omitir a experiência vivida durante o período que passei na SES, especialmente, no Taj Mahal.


Com a centralização de quase todos os setores da complexa pasta, ouvi inúmeros depoimentos de gestores municipais, dizendo-se encantados com a praticidade dos seus despachos, assim como a universalidade de encaminhamentos para as secretarias de suas cidades. "Isso aqui ficou muito bom. Os problemas que antes levariam entre dez e quinze dias para despachar, hoje num só expediente consigo tratar de vários assuntos da saúde num só local". Dificilmente não se ouvia esse tipo de afirmativa.


Outro aspecto que posso destacar foi a economia, considerando que o número de prédios que foram desalugados, e transferidos para a nova sede, somados, superavam muito o valor do contrato de aluguel do Taj Mahal.


Até entendo que o governador Belivaldo Chagas deseje fazer contenção de despesas, mas, no que diz respeito ao aluguel dali, com o encerramento dos que existiam, a contenção já estava feita. A economia é flagrante, além da eficiência dos serviços para quem necessita.


A decisão determina que o prédio seja desocupado em seis meses. Entendo que o "Galeguinho" deveria se mostrar grande, compreendendo que determinadas causas estão acima de possíveis querelas, e que são de domínios públicos, ultrapassando sua decisão, embora esteja outorgado para isso. A funcionalidade do Taj Mahal para a saúde do estado já é uma realidade. Impressionou inclusive os dirigentes do hospital de Barretos quando lá esteve.


Não avance nessa pendenga jurídica, Belivaldo. Pague o que é devido, e siga em paz, buscando resolver, como prometeu, outros imbróglios. Uma mudança de sede da saúde agora lhe tomaria metade do seu governo, sendo bem generoso na minha previsão.


Concluo, desejando muita saúde e paz para as partes envolvidas e, principalmente, para os sergipanos.



Azaleia fica
Renovação de apoio locacional e fiscal vai garantir a manutenção de mais de 900 empregos na cidade de Frei Paulo. O diretor-presidente da Codise, José Matos esclarece que o governo renovou o apoio à Azaleia com o objetivo central de manter os empregos e renda para a população. “Com esta medida, o estado vai manter a competitividade, impedir que a fábrica deixe Sergipe, e garantir que os empregos existentes sejam mantidos, tendo ainda, melhores condições para a ampliação dos postos de trabalho na cidade”, explica.



Publicidade
O presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas, explica que, na verdade, já existia uma lei que determinava as diretrizes para essa publicidade, mas que havia a necessidade de uma atualização. “A lei anterior, de 2013, não trazia nenhum benefício ao comerciante, pois não isentava o pagamento de taxas referentes ao alvará em nenhum aspecto”, ressalta Luiz Roberto.



Publicidade II
Ainda de acordo com o presidente da Emsurb, o período de reuniões com as entidades foi importante para que, juntos, chegassem a um denominador comum. “Inclusive, a maioria dos comerciantes já está regularizada. Há apenas casos isolados de insatisfação, mas a maior parte dos empresários entende a importância de se adequar à legislação”, garante.


Publicidade III
No caso de placas que medem 0,70 x 1,50m, a norma, inclusive, dispensa a autorização. Por isso, Luiz Roberto orienta que os empresários que ainda não estão cientes das mudanças procurem a Emsurb para possíveis esclarecimentos.



Domingos de Telha
Na sessão plenária desta terça-feira, 9, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) proclamou a nulidade do processo relacionado à captação ilícita de voto e abuso de poder econômico, cujos indiciados são o prefeito do município de Telha, Domingos dos Santos Neto, e a vice-prefeita, Terezinha Moraes Prado Gomes. A ação de investigação eleitoral foi proposta pela coligação “Juntos com a Força do Povo”.



Mais chuvas
Segundo o meteorologista Overland Amaral, a tendência é que as chuvas sejam frequentes até a próxima sexta-feira, 12. Ele explica que o vapor de umidade vai se prolongando e, com isso, pancadas de chuvas deverão ocorrer principalmente no início da noite até início do dia seguinte. “Essas chuvas são características do inverno porque embora não sejam intensas durante todo o dia, apresentam uma certa frequência em períodos característicos, como início da noite e madrugada”, explicou Amaral.



Reforma da previdência
A Câmara dos Deputados aprovou, por 353 votos favoráveis a 118, na madrugada desta quarta-feira (10) o encerramento da fase de discussão, em plenário, da proposta de emenda à Constituição (PEC) que altera as regras para aposentadoria no Brasil. Os deputados podem partir para o próximo passo da análise da reforma, que é a votação do texto-base. Uma sessão com essa finalidade está marcada para as 9h desta quarta.



Feira melhor
O Tribunal de Contas de Sergipe (TCE/SE), por meio da conselheira Susana Azevedo, deu início nesta terça-feira, 9, à assinatura de Termos de Ajustamento de Gestão (TAG) que objetivam corrigir inconformidades constatadas pelos técnicos do órgão nas feiras livres dos municípios. Neste primeiro dia, assinaram o documento os prefeitos de Campo do Brito, Indiaroba, Carmópolis, Maruim e Cristinápolis.


Feira melhor II
Conforme o prefeito de Indiaroba, Adinaldo do Nascimento, o TAG vai proporcionar melhorias na vida dos cidadãos. “É uma somação de esforços e hoje demos um passo importante na normatização dos procedimentos para as feiras livres. Saímos daqui muito satisfeitos, entendendo que o Tribunal é um grande parceiro para superarmos esse desafio e ofertar uma melhor feira para nossa comunidade”, colocou.



Pacote anticrime
O grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que analisa o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, retirou do projeto nesta terça-feira,9, o trecho que formaliza em lei que o réu seja preso depois de ser condenado em segunda instância. Por sete votos a seis, a maioria dos integrantes do grupo entendeu que esse tema deve ser tratado por meio de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), e não por projeto de lei. O pacote ainda será analisado pelo plenário da Casa e, depois, pelo Senado.


Pacote anticrime II
O Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu, em 2016, que a execução de pena comece após a condenação em segunda instância. Alguns parlamentares argumentaram que esse julgamento mostra que a questão é constitucional. Outros ressaltaram que o mero fato do STF ter discutido o tema indica que se trata de uma matéria constitucional, ou seja, que deve ser tratada por meio de PEC. Eles ressaltaram que já existe uma proposta sobre esse tema tramitando na Câmara.



Taj Mahal - Imagem ilustrativa: reprodução/YouTube/LoucoporViagens
Contato: ferreirappa@gmail.com/Zap: 79 9 9987 2966
Mais Colunas

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação