Aracaju (SE), 19 de agosto de 2022
POR: NV Comunicação
Fonte: NV Comunicação
Em: 12/07/2022 às 16h28
Pub.: 13 de julho de 2022

Câncer da cabeça e pescoço: 60% dos pacientes apresentam estágio avançado da doença


Neoplasia engloba tumores da cavidade oral, faringe, laringe e cavidade nasal.


Câncer da cabeça e pescoço: 60% dos pacientes apresentam estágio avançado da doença - Imagem ilustrativa: Freepik

Câncer da cabeça e pescoço: 60% dos pacientes apresentam estágio avançado da doença - Imagem ilustrativa: Freepik


Você já ouviu falar sobre o câncer de cabeça e de pescoço? Este tipo da doença abrange oito áreas e, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 685 mil novos casos desse tipo de câncer devem ser confirmados entre 2020 e 2022. Os números acendem o alerta, que é reforçado pelas pesquisas que apontam que 60% dos pacientes são diagnosticados tardiamente, quando o câncer já está em estágio avançado.


De acordo com a oncologista Gisélia Tavares, o câncer de cabeça e pescoço envolve tumores que se localizam na boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago, tireoide, seios paranasais e pele. “O câncer de cabeça e pescoço mais comum atinge a pele. No entanto, nas mulheres, por exemplo, o câncer de tireoide deve registrar 12 mil novos casos. Entre os homens, serão 11 mil novos casos de câncer de boca e aproximadamente 6,5 mil novos casos de tumores na laringe”, alertou a médica oncologista que integra o corpo clínico da Oncoradium – Centro Oncológico de Aracaju.


Neste tipo da doença, os números chamam a atenção. De acordo com a Dra. Gisélia Tavares, 60% dos casos são diagnosticados em estádios tardios, levando à maior morbidade e à diminuição de chances de cura. “O diagnóstico tardio causa uma perda significativa da qualidade de vida durante e após o tratamento, sendo que na maioria dos casos, há o comprometimento da fala e outras sequelas funcionais e psicológicas”, alertou.


Fatores de risco
De acordo com o médico oncoradioterapeuta Dauler de Souza, que também integra a equipe de profissionais da Oncoradium-Centro Oncológico de Aracaju, o consumo de álcool e tabaco são os dois fatores de risco mais significativos para o câncer de cabeça e pescoço, especialmente o câncer de boca, orofaringe, hipofaringe e laringe. Outro fator de risco para alguns tipos de câncer de cabeça e pescoço, particularmente para o câncer de boca e orofaringe, é a infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV).


“Esse vírus possui um papel importante no aparecimento do câncer na região de orofaringe. O HPV invade células da pele e das mucosas do ser humano, principalmente, por meio de transmissão sexual. Ao infectar as células da mucosa, ele causa alterações no DNA destas células que podem levar ao desenvolvimento de tumores”, alertou o Dr. Dauler de Souza.


Diagnóstico e tratamento
Segundo o médico oncoradioterapeuta, o câncer de cabeça e pescoço é um tipo de câncer silencioso, já que dificilmente apresenta sinais em sua fase inicial. Na maioria das vezes, quando os sintomas desconfortáveis surgem, é provável que a doença já esteja em um estágio mais avançado. Por isso, as pessoas precisam estar atentas aos sinais.


“Um nódulo persistente no pescoço, dificuldades para engolir, lesão na boca que não cicatriza e rouquidão prolongada por mais de três semanas são alguns dos sintomas para o câncer de cabeça e pescoço. É importante ficar atento a esses sinais e procurar atendimento médico sempre que apresentar estes sintomas. O médico solicitará os exames necessários e somente assim poderá ser feito o diagnóstico”, explicou.


De acordo com o Dr. Dauler de Souza, o tratamento para o câncer de cabeça e pescoço varia de acordo com a região atingida, extensão da doença e saúde geral do paciente, como presença de doenças crônicas e estado nutricional.  “As principais opções de tratamento são a cirurgia, radioterapia e quimioterapia. O melhor tratamento será definido pelo médico de acordo com vários fatores, como o estágio da doença, saúde geral do paciente, disponibilidade e preferência do mesmo”, disse.


Segundo o especialista, existem diversas técnicas modernas de radioterapia que diminuem muito os efeitos colaterais do tratamento.


“Existe também drogas, como a imunoterapia, que é um tratamento sistêmico que utiliza medicamentos capazes de capacitar o próprio sistema imunológico a reconhecer e atacar as células cancerígenas”, destacou o médico radioterapeuta.


Prevenção
Para mudar essa realidade, a informação é uma aliada. Campanhas como o Julho Verde, que buscam conscientizar sobre a prevenção e a importância do diagnóstico precoce, exercem um papel fundamental na luta contra o câncer de cabeça e pescoço. “A campanha Julho Verde e as outras existentes são importantes porque levam informação, conscientizam sobre os sinais e sintomas de alerta e orientam os pacientes sobre como proceder para chegar ao diagnóstico precoce”, destacou o médico oncoradioterapeuta.


Ainda segundo o Dr. Dauler de Souza, alguns hábitos fazem toda a diferença na prevenção ao câncer de cabeça e pescoço. “Mantenha a higiene bucal em dia, abandone o cigarro (esta é a melhor maneira de evitar a maioria dos cânceres de boca, faringe e laringe), evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas; procure manter uma alimentação saudável e nunca se esqueça do protetor solar”, finalizou o especialista.


Sobre a Oncoradium
Inaugurada em setembro de 2021,  Oncoradium – Centro Oncológico de Aracaju é a 10ª unidade da Rede Onco, grupo referência no tratamento oncológico em todo o país.


Focada na cura e qualidade de visa dos pacientes, a Oncoradium - Centro Oncológico de Aracaju conta com infraestrutura de atendimento completa, tecnologia de ponta, pro?ssionais altamente capacitados e atendimento humanizado.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação