Aracaju (SE), 23 de maio de 2022
POR: Carlos Moreira
Fonte: Carlos Moreira
Em: 21/12/2021 às 10h36
Pub.: 21 de dezembro de 2021

Entenda importância da ISO 37000 na Governança Corporativa :: Por Carlos Moreira


Carlos Moreira*


A norma foi publicada em setembro deste ano e é como um referencial a todas as organizações.


Entenda importância da ISO 37000 na Governança Corporativa (Imagem: Divulgação)

Entenda importância da ISO 37000 na Governança Corporativa (Imagem: Divulgação)


Em 14 de setembro deste ano foi publicada a ISO 37000: 2021 Governança de Organizações, que se estabelece como único referencial a organizações e seus órgãos diretivos, independentemente do porte e segmento. O intuito é que as diretrizes tenham uma linguagem, princípios e práticas, integrados para o exercício da boa governança.


A instituição dessa norma contou com o trabalho de 77 países ao redor do mundo, indicados pelos organismos membros da ISO.


Com mais de 35 anos no mundo corporativo e desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, hoje trago um artigo sobre a ISO 37000 na governança corporativa (GC) e como pode contribuir para o segmento das empresas familiares.


ISO 37000 e suas funcionalidades
A aplicação da ISO é global a todas as organizações e há alguns princípios presentes nessas práticas, principalmente a órgãos do governo, que orientam as organizações no cumprimento de suas responsabilidades.


O que a ISO 37000 tem como importante premissa dentro da governança corporativa é principalmente o pilar da transparência através da imposição da necessidade de uma supervisão eficaz, por meio de um sistema de controle interno bem definido e de processo de garantia confiável.


Outro pilar importante da GC é a responsabilidade, que também encontra-se destacada em todos os níveis neste padrão de governança.


Algo importante de ser destacado é que dentro deste padrão nem mesmo os membros do corpo diretivo e nem aqueles a quem o poder foi delegado estão acima da lei.


O corpo diretivo, aliás, é, em último caso, responsável pelas ações e omissões da empresa. É de suma importância que os órgãos diretivos garantam e definam as funções e responsabilidades para que tenham um sistema de prestação de contas e relatórios que funcione bem.


Dentro da ISO 37000 há uma premissa de que as lideranças nas empresas devem definir o tom para uma cultura organizacional ética, assim como precisam utilizar de maneira estratégica e responsável os dados, além disso, será preciso tomar decisões transparentes e que estejam em concordância com as expectativas dos públicos de interesse.


Garantindo as boas práticas
Conforme as muitas transformações no mercado é preciso garantir a integridade das empresas, sendo assim, a governança corporativa se torna um importante guia para este fim, mas não basta apresentar boas práticas, é fundamental garantir que sejam cumpridas.


Além da ISO 37000, foram publicadas mais duas importantes normas neste ano:

  • ISO 37301: 2021, de requisitos para Sistemas de Gestão de Compliance;
  • ISO 37002: 2021, referente às diretrizes para Sistemas de Gestão de Denúncias.

A ISO 37000 foi pensada a partir de conceitos, princípios e práticas de boa governança com o intuito de sanar as diferenças quanto à aplicabilidade da governança nas empresas.


Temas fundamentais ligados à valorização econômica e reputação dos negócios também estão presentes nesse padrão, que são: ética e sustentabilidade.


Já escrevi alguns artigos sobre o conceito de ESG que também veio para movimentar o mundo corporativo neste ano e a ideia da ISO 37000 é garantir a aplicabilidade das normas e uma vivência prática de sucesso.


Em empresas familiares, por exemplo, esse padrão tem como o intuito, junto a ISO 37001, reforçar a gestão de riscos nas empresas, principalmente no que diz respeito a casos de corrupção e suborno, que são referenciados por meio de desvios de conduta em troca de qualquer vantagem.


Vale ressaltar que dentro do princípio de Compliance, aplicado de maneira bem-sucedida está o mecanismo de prevenção a conflitos de interesses e também, de ilícitos e suas consequências às organizações.


É responsabilidade da alta gestão dar o exemplo no cumprimento do Código de Conduta por ser considerada a guardiã dos princípios e valores do negócio.


Essas normas juntas vieram, ao contrário do que muitas empresas podem pensar, para facilitar as boas práticas de governança corporativa.


Há ainda, outro item muito importante presente na ISO 37000, que gostaria de destacar, especificamente no item 7.4.3.2, que se refere ao recebimento, tratamento e resposta às informações relevantes e de impacto à organização:


Está expresso no texto:


O órgão de governança deve assegurar que haja um processo apropriado para monitorar, receber, avaliar e, quando necessário – responder ou agir com base nas informações relevantes. Isso pode incluir a supervisão de remediação de não conformidades, investigação de possíveis oportunidades de melhoria em todos os níveis e esforços para melhorar os próprios sistemas de gestão.


Transformação real de dentro para fora nas organizações
Em empresas familiares, cujo problema mais marcante está na falta de padronização em sua gestão, a ISO 37000 e as demais têm o intuito de facilitar a garantir o cumprimento das boas práticas.


Muitas empresas ainda encaram a GC como obrigação, mas em tempos obscuros como o que se tem vivenciado no Brasil e no mundo, contar com boas práticas é também uma maneira segura de se manter no mercado e de repensar a atuação e crescimento.


Contar com um padrão de gestão excelente garante maior facilidade no cumprimento de regras e é uma maneira de tornar o negócio mais confiável internamente e diante dos públicos de interesse.


*Carlos Moreira - Há mais de 35 anos atuando em diversas empresas nacionais e multinacionais como Manager, CEO (Diretor Presidente), CFO (Diretor Financeiro e Controladoria) e CCO (Diretor Comercial e de Marketing).

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação