Aracaju (SE), 05 de julho de 2022
POR: PAÓ Comunicação
Fonte: PAÓ Comunicação
Em: 31/03/2022 às 16h55
Pub.: 01 de abril de 2022

Egbé Cinema Negro oferece curso e oficina com foco em cinema e educação e som no audiovisual


Programação do festival começa no próximo dia 9 de abril.


Nem só de sua excelente programação audiovisual vive a Egbé Mostra de Cinema Negro. Entre as atividades propostas pela organização do evento também estão o Curso Tela Preta: Cinema e Educação Antirracista e a oficina Nosso modo de sentir, pensar e fazer: departamento e atribuições de som no cinema brasileiro. As inscrições ficarão abertas até o limite de 50 participantes.


O curso é voltado para profissionais da educação que querem utilizar o cinema como ferramenta de combate ao racismo em sala de aula e  vai ser ministrado pelo professor de Filosofia e roteirista José Figueiredo Neto, de forma on-line. A formação tem carga horária de 20h distribuída entre os dias 9, 11, 12, 18 e 19 de abril. O investimento é de R$ 50. 


Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação


Já a oficina, pensada para desenvolver uma maior compreensão sobre a importância do som no audiovisual sob uma perspectiva decolonial, será realizada também de forma on-line no dia 6 de abril, tendo como oficineiros Marise Urbano, Herison Pedro e Gabriel Muniz. O investimento para participar da oficina é de R$ 50.


Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação


“Este ano, a gente quis trazer a temática da formação para dentro da Mostra, porque uma das nossas missões dentro da Egbé é trabalhar com o cinema como uma ferramenta de transformação social e também qualificar a produção de cinema negro feita em nosso país”, explica Luciana Oliveira, organizadora da Egbé.


Egbé Cinema Negro
A mostra Egbé Cinema Negro chega à sua 7ª edição e, em 2022, vai ter como homenageado o cineasta Zózimo Bulbul. 


Zózimo Bulbul foi um ator e cineasta negro brasileiro, o primeiro a ser protagonista de uma novela, na obra Vidas em Conflito. Sem se conformar com os espaços legados aos negros na dramaturgia, ele passou a escrever e dirigir as próprias produções. Uma de suas obras mais importantes é o longa-metragem Abolição, de 1988, que propôs uma reflexão crítica acerca das comemorações da abolição da escravatura. 


A mostra oficial de filmes e clipes musicais começa no dia 10 e segue até 17 de abril, com a exibição dos 24 filmes selecionados entre os mais de 200 enviados por diretoras e diretores de todas as regiões do Brasil e até de países como Alemanha, Moçambique e Espanha. 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação