Aracaju (SE), 14 de maio de 2021
POR: Marcio Rocha
Fonte: Marcio Rocha
Em: 16/04/2021 às 10h35
Pub.: 16 de abril de 2021

Empreendedores por necessidade estão conquistando oportunidades e os por oportunidade preenchem necessidades :: Por Marcio Rocha


Marcio Rocha (Foto: Arquivo Pessoal)

Marcio Rocha (Foto: Arquivo Pessoal)

Com 1.418 novas empresas abertas no primeiro trimestre desse ano, Sergipe registrou um aumento de 40% diante do mesmo período do ano passado em sua estrutura empresarial. Os dados divulgados pela Junta Comercial de Sergipe (JUCESE) são interessantes para entender o que está acontecendo neste período em que a pandemia tem complicado a vida das pessoas, provocando mortes em suas famílias e como dano colateral, a retração no mercado local. Estamos vivendo uma crise, isso é fato e não adianta esconder.


Contudo, o velho provérbio “enquanto uns choram, outros vendem lenços” nunca esteve tão em alta. Isso porque muitas pessoas que estão ficando desempregadas partiram para o empreendedorismo, usando de poucos recursos ajuntados e muita coragem para se aventurar e conquistar um espaço no mercado sergipano. Isso mostra o quanto a crise faz com que as pessoas desenvolvam coragem e partam para aventurar-se no universo empresarial.


Além disso, pessoas que já empreendem resolveram avançar nos seus negócios. Os dados da JUCESE indicam que mais de 3 mil alterações em atividades empresariais foram registradas entre janeiro e março. A bem da verdade, muitas empresas se encontram em dificuldades, que não são poucas. Entretanto, muitos estão buscando meios para poder fazer sua atividade crescer. E isso também anima, pois quanto mais negócios existindo, mais oportunidades de emprego são geradas. Todo esse contexto fortalece eminentemente a cadeia produtiva do estado, que se encontra cambaleante, já que muitas empresas estão sofrendo com dificuldades severas, principalmente no setor de serviços de alimentação e prestados às famílias. 


Empreender por oportunidade é visualizar a necessidade do mercado em ter aquele negócio no local certo, para o público certo. São pessoas que possuíam recursos e aplicaram no momento que julgaram apropriado para entrar no mercado, conseguindo assim um meio de fazer seu negócio funcionar e crescer. Já empreender por necessidade é o que mais está acontecendo nesse momento. São aquelas pessoas que possuem um talento ou vocação e se encontra em dificuldades por conta do desemprego ou falta de opções para sua atividade formacional ou laborativa. E isso as leva a desenvolver um negócio para se sustentar e sustentar suas famílias. O empreendedorismo por necessidade é a consequência direta de uma crise que reflete a situação econômica do país, nesse caso diante do desemprego provocado como dano decorrente por causa da pandemia.


Empreender por necessidade cria grandes oportunidades para as pessoas, tanto empreendedores, quanto trabalhadores, que criam a expectativa de contratação se esses negócios assinalarem crescimento. Portanto, o empreendedorismo por necessidade pode gerar novas oportunidades. Essa corrente pode ser contínua, com um empreendedor estimulando outra pessoa a montar o seu negócio, de forma direta ou indireta. Fazendo com que todos cresçam, desde a si próprios, quanto as pessoas ao seu redor e a comunidade ondem vivem, fomentando a cadeia produtiva solidária. Os setores de comércio, indústria e serviços estão presentes em todas as comunidades. 


O momento de decidir empreender é aquele escolhido por cada indivíduo. E para o consumidor, o momento é de dar preferência às compras nesses negócios. Estimular a cadeia produtiva comunitária do pequeno negócio alimenta toda a atividade econômica, pois os grandes existem porque já foram pequenos e alimentam os pequenos negócios, formando assim uma grande associação mercadológica geradora de emprego e renda para todos.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação