Aracaju (SE), 05 de julho de 2022
POR: Vinícius Lisboa
Fonte: Agência Brasil
Em: 17/03/2022 às 15h39
Pub.: 18 de março de 2022

Casos de síndrome respiratória grave em criança cresceram em fevereiro


Análise abrange período em que houve a retomada do ano letivo.


Casos de síndrome respiratória grave em criança cresceram em fevereiro (Foto: Leonardo Oliveira/ FioCruz)

Casos de síndrome respiratória grave em criança cresceram em fevereiro (Foto: Leonardo Oliveira/ FioCruz)


A incidência de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em crianças teve "ascensão significativa" em diversos estados ao longo do mês de fevereiro, informou hoje (17) a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Boletim InfoGripe. A análise abrange o período entre 6 de fevereiro a 12 de março, período que foi marcado pela retomada do ano letivo.


Segundo os pesquisadores, dados laboratoriais preliminares sugerem que o aumento está associado ao Vírus Sincicial Respiratório (VSR) na faixa etária de 0 a 4 anos, além de também pesar a interrupção de queda nos casos associados ao Sars-CoV-2 (covid-19) na faixa de 5 a 11 anos.


Entre os adultos, o boletim destaca que a queda na incidência está desacelerando de forma gradual, o que indica possível estabilização em patamar similar ao registrado ao final de outubro de 2021, quando foi registrado o menor número de novos casos semanais desde o início de epidemia de covid-19 no Brasil.


A exceção em relação a esse cenário de queda mais lenta foi a população acima de 70 anos, que ainda apresenta queda semanal expressiva por ter sofrido maior impacto durante o pico do início do ano.


A análise dos casos de SRAG aponta que, entre os que tiveram resultado positivo para vírus respiratórios, 0,8% foram de Influenza A, 0,2% de Influenza B, 6,5% de VSR, e 86,7% de covid-19. Entre os óbitos por SRAG viral, a covid-19 chegou a 97,3%.


A Fiocruz informa ainda que em três unidades federativas houve sinal de crescimento na tendência de longo prazo para a incidência da SRAG: Distrito Federal, Espírito Santo e Roraima. Todas as demais apresentam sinal de queda. Já entre as capitais, apenas duas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo: Boa Vista e Fortaleza.


Edição: Denise Griesinger

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação