Aracaju (SE), 24 de setembro de 2021
POR: Site Laércio Oliveira
Fonte: Site Laércio Oliveira
Em: 15/06/2021 às 17h26
Pub.: 15 de junho de 2021

Laércio Oliveira realiza reunião com Artur Lira para tratar de Reforma Tributária


Entidades do setor de Servi?os, que representam 11 milh?es de empregos, reuniram-se com o presidente da C?mara Arthur Lira nesta ter?a, 15, para defender que n?o haja aumento de impostos com a reforma tribut?ria. O presidente da C?mara disse que o setor n?o precisa se preocupar com o texto atual, que existe uma preocupa??o com o emprego no Brasil e que n?o h? possibilidade de usar a mesma al?quota para servi?os e ind?stria.


Laércio Oliveira realiza reunião com Artur Lira para tratar de Reforma Tributária (Foto: Site Laércio Oliveira)

Laércio Oliveira realiza reunião com Artur Lira para tratar de Reforma Tributária (Foto: Site Laércio Oliveira)


O presidente da Frente Parlamentar do Setor de Setor de Servi?os, o deputado federal La?rcio Oliveira lembrou que o onerar os consumidores aumentando impostos sobre passagens, mensalidade escolar, seguran?a, moradia, lazer e diversos outros servi?os vai reduzir a demanda e, consequentemente, gerar desemprego.


No ?ltimo dia 8, o ministro da Economia Paulo Guedes informou na reuni?o da Frente Parlamentar dos Servi?os que enquanto n?o for poss?vel essa compensa??o para o setor, com a desonera??o da folha, ele tem que ser tratado de maneira diferenciada, justamente pela grande capacidade de criar empregos que ele tem.


O ministro afirmou que a ideia inicial era que todos os setores tivessem a mesma al?quota na CBS, que vai unificar os impostos que incidem sobre o consumo. Por?m, disse que o tratamento especial est? em estudo j? que o governo n?o vai conseguir desonerar a folha de pagamento neste momento. ?Estamos considerando a possibilidade de duas al?quotas: uma para com?rcio e servi?os, mais baixa; e outra para a ind?stria, mais alta?, completou.


O presidente da Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Servi?os) Jo?o Diniz, lembrou que o setor de servi?os ? respons?vel por 2/3 da economia e por ser grande empregador tem ainda o peso da tributa??o da folha de pagamento, que no Brasil ? de 43%, uma das maiores do mundo.


O presidente do Seac/SP, Rui Monteiro, afirmou que o setor ainda estava mais preocupado quando tramitava a PEC 45 que causava um desequil?brio entre os setores da economia, elevando a carga tribut?ria de maneira expressiva para os prestadores de servi?os e para as micro e pequenas empresas.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação