Aracaju (SE), 07 de julho de 2022
POR: Funcap/SE
Fonte: Funcap/SE
Em: 21/02/2022 às 11h56
Pub.: 22 de fevereiro de 2022

Orsse celebra 100 anos da Semana de 22 com Música Brasileira, no Teatro Tobias Barreto


Orsse celebra 100 anos da Semana de 22 com Música Brasileira, no Teatro Tobias Barreto (Imagem: Divulgação)

Orsse celebra 100 anos da Semana de 22 com Música Brasileira, no Teatro Tobias Barreto (Imagem: Divulgação)


Nesta próxima quinta-feira, dia 24 de fevereiro, às 20h30, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) realiza um concerto especial pré-temporada, em homenagem aos 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922.  Em performance no Teatro Tobias Barreto, o grupo apresentará as Bachianas Brasileiras nº9, de Heitor Villa-Lobos, um dos expoentes desta semana, além de importante repertório brasileiro, com destaque para peças do Movimento Armorial, do Recife, compostas por Cussy de Almeida, Benny Wolkoff e Clóvis Pereira, e com a apresentação da Sonata para Cordas em Ré maior, de Antônio Carlos Gomes. A regência é do maestro Guilherme Mannis, titular do grupo. Os ingressos, a preços populares, estão disponíveis para venda na bilheteria do Teatro Tobias Barreto. A Orsse é uma realização do Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap). É obrigatório a todo o público a apresentação do comprovante de vacinação em duas doses, além da adoção de medidas de prevenção sanitária; o teatro terá ocupação máxima de 75%.


A Semana de Arte Moderna de 1922 representou uma verdadeira renovação de linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora da ruptura com o passado e na criação do conceito de “Modernismo”, em âmbito nacional. O evento marcou época ao apresentar novas possibilidades artísticas, contando com a participação de grandes nomes consagrados do modernismo brasileiro, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Picchia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Di Cavalcanti, entre muitos outros. Uma das grandes figuras da semana foi o compositor Heitor Villa-Lobos, que apresentou muitas de suas composições nos três dias de evento, ocorrido no Teatro Municipal de São Paulo. De Villa-Lobos, a Orsse executará as suas Bachianas Brasileiras nº9, peça que encerra o ciclo de obras dedicadas a Bach concebido pelo criador. Composta para cordas, a obra possui dois movimentos contrastantes: um pungente “Prelúdio”, seguido por uma complexa e impressionante “Fuga”, em que naipes de instrumentos se sobrepõem em sonoridade arrebatadora.


Outro destaque do programa são quatro peças significativas do Movimento Armorial, iniciativa artística cujo objetivo seria criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. Destacam-se obras de compositores como Cussy de Almeida, Benny Wolkoff e Clóvis Pereira, utilizando-se o cravo como um instrumento solista, com sonoridade que visa remeter às violas de arame, tão características da música popular.


Completa o programa uma obra do brasileiro Antônio Carlos Gomes (1836-1896): a Sonata para Cordas, em Ré maior, “Burrico de Pau”. Destacado pelo ineditismo de escrita e muito conhecido pela composição da sua ópera “O Guarani”, Carlos Gomes fez grande sucesso na Europa, de forma que muitas de suas óperas foram encenadas no prestigiado Teatro Alla Scala, de Milão, bem como em outros diversos grandes centros. Composta nos últimos anos de vida do compositor, a Sonata para Cordas em Ré, que será interpretada pela Orsse neste programa, é capaz de mesclar o romantismo operístico típico de suas principais produções operísticas à música nacional, com o singelo último movimento, denominado “O Burrico de Pau”, incorporando, em algumas divertidas figurações musicais, o som característico do animal à peça musical.


Sobre o concerto, o maestro Guilherme Mannis explica-nos: “A arte de 22 segue viva em nossa produção, seja pelas ideias revolucionárias ali lançadas, que culminaram na valorização da arte brasileira, seja pela quebra diária de paradigmas requerida a nós artistas. Trazer Villa-Lobos aliado ao repertório armorial, permeado pelo gênio Carlos Gomes é motivo de orgulho e alegria para todos nós”.


Serviço
Orquestra Sinfônica de Sergipe – Homenagem aos 100 anos da Semana de Arte Moderna de 22
Teatro Tobias Barreto, 24 de fevereiro, quinta-feira.
Ingressos: disponíveis nas bilheterias do Teatro Tobias Barreto (ter-dom, 12-19h, ou no dia do evento até o início).
Valores: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Ocupação limitada a 75% da lotação do Teatro, conforme decreto governamental. Obrigatória a apresentação de comprovante de vacinação em duas doses.


Repertório e intérpretes:
Guilherme Mannis, regente


Heitor VILLA-LOBOS
Bachianas Brasileiras nº9
Benny WOLKOFF
Chegança
Clóvis PEREIRA
No reino da Pedra Verde
Cussy de ALMEIDA
Cipó Branco de Macaparana
Clóvis PEREIRA
Cantiga
Antônio CARLOS GOMES
Sonata para Cordas, em Ré


Realização: Fundação de Cultura e Arte Aperipê/Governo de Sergipe

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação