Aracaju (SE), 05 de julho de 2022
POR: Prefeitura de Aracaju
Fonte: Prefeitura de Aracaju
Em: 09/05/2022 às 15h50
Pub.: 10 de maio de 2022

Prefeitura de Aracaju orienta sobre cuidados para evitar a hepatite em crianças


Diante do surto do que vem sendo chamada de ‘hepatite misteriosa’, que já atingiu mais de 200 crianças em pelo menos 14 países, e apesar de não haver uma causa definida sobre o diagnóstico dessa hepatite aguda, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), orienta a população sobre a importância de manter cuidados básicos de higiene, bem como o calendário vacinal atualizado.


Prefeitura de Aracaju orienta sobre cuidados para evitar a hepatite em crianças - Foto: SMS Aracaju

Prefeitura de Aracaju orienta sobre cuidados para evitar a hepatite em crianças - Foto: SMS Aracaju


Na sexta-feira (6), o Ministério da Saúde informou que está monitorando sete casos suspeitos da doença, sendo três no estado do Paraná e outros quatro no Rio de Janeiro. Conforme explica o coordenador médico da Rede de Atenção Primária da SMS, Willian Barcelos, não é comum caso de hepatite nessa faixa etária, principalmente por conta vacinação. 


“Quando a mãe faz um pré-natal bem feito e mantém o calendário vacinal do filho atualizado, a criança fica protegida dos principais causadores de hepatite. Normalmente, a hepatite é transmitida ou por via oral, ou via hematológica, por algum procedimento que tenha o vírus da hepatite, que possa contaminá-lo. A transmissão da hepatite A, por exemplo, é mais comum por via alimentar; já a hepatite B é por transmissão sexual, o que geralmente na criança não é para existir; e por processo sanguíneo é possível transmitir as hepatites B e C”, explica. 


Para se prevenir contra os vírus comuns que causam a heptatite, o médico orienta sobre os sinais de alerta e ressalta a importância de se manter o calendário vacinal em dia e hábitos saudáveis, para assegurar um bom funcionamento do sistema imunológico.  


“Boa alimentação da criança, manter a prática de exercícios físicos e uma boa higiene pessoal são fatores importantes. E os sinais de alerta com relação aos sintomas (que podem atingir adultos e crianças) são dor abdominal e a icterícia, que é quando a pessoa fica com aspecto amarelado, principalmente na área dos olhos e unhas. Há casos em que há sangramentos e fezes muito claras”, pontua Willian. 


Adenovírus
Os primeiros estudos acerca dessa hepatite aguda em crianças apontam uma possível relação com o Adenovirus, que é muito comum em problemas respiratórios. De acordo com o médico Willian Barcelos, não é impossível que ela tenha condições de atingir outros sistemas, e por isso essa relação vem sendo investigada. 


“Estão fazendo essa associação, mas não foi provado ainda que ele possa estar relacionado à infecção do fígado. E enquanto não há uma causa definida dessa hepatite aguda, temos que manter os cuidados com os tipos que já são conhecidos (hepatite A, B e C, D e E), para os quais temos vacinas eficazes. E, além disso, sempre manter uma boa alimentação, para ter um sistema imunológico fortificado e uma boa higiene também, para evitar o contato das crianças ou até mesmo novos tipos de vírus”, alertou.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação