Aracaju (SE), 15 de maio de 2021
POR: Assessoria de Imprensa Unit
Fonte: Assessoria de Imprensa Unit
Em: 11/04/2021 às 07h00
Pub.: 12 de abril de 2021

Em 2020 cerca de 900 mulheres foram diagnosticadas com sífilis, 500 crianças nasceram com a infecção


Aracaju registrou, em 2020, cerca de 900 casos de mulheres com diagnóstico de sífilis. Pelo menos 500 crianças nasceram com a infecção adquirida durante a gestação ou no parto. Os números foram apresentados pelo médico Almir Santana, coordenador do Programa Estadual de DST/Aids, durante a live de encerramento da série “Mulheres que inspiram”, promovida pela Universidade Tiradentes.


Médico Almir Santana, coordenador do Programa Estadual de DST/Aids (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)

Médico Almir Santana, coordenador do Programa Estadual de DST/Aids (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)


“Muitas vezes isso acontece porque o pré-natal não foi feito corretamente ou, em caso de diagnóstico, o tratamento não foi feito”, esclarece.


Em uma conversa franca e direta, o Dr. Almir chamou a atenção das mulheres que planejam engravidar. “Antes disso façam os exames, junto com os parceiros, porque o diagnóstico do homem é importante”.


O médico com especialização em saúde pública alertou para a perigosa combinação entre cigarro e anticoncepcional. “Há risco de aumento de varizes, distúrbios circulatórios e de infarto”.


Com foco na saúde da mulher, a palestra abordou ainda métodos contraceptivos e violência.


“A violência não é somente aquela que causa escoriações. Quando a mulher aceita ter uma relação sexual, sem vontade, isso também é violência. A mulher precisa se cuidar. A camisinha ainda é o método mais eficaz para evitar uma gravidez e seguro contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)”, explicou o médico.


Dados apresentados pelo especialista que há 40 anos acompanha os casos de AIDS no Estado indicam que, há alguns anos, a proporção de homens infectados pelo vírus HIV era de 16 homens para uma mulher. Hoje, a relação é de 2 homens para uma mulher.


“O autocuidado é fundamental para os dois lados. Toda pessoa sexualmente ativa, deveria fazer o teste pelo menos uma vez ao ano, casada(o) e solteira(o), sem exceção. O diagnóstico precoce é importante para o início imediato do tratamento e, consequentemente, mais qualidade de vida para o paciente”, orienta.


Para assistir acesse www.youtube.com/watch?v=wFbjLulIYJI.
 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação