Aracaju (SE), 09 de março de 2021
POR: Assessoria de Imprensa Unit
Fonte: Assessoria de Imprensa Unit
Em: 19/02/2021 às 07h00
Pub.: 19 de fevereiro de 2021

Máscara de proteção: tecido ou profissional?


Máscara de proteção: tecido ou profissional? (Foto: André Moreira)

Máscara de proteção: tecido ou profissional? (Foto: André Moreira)


Com o crescimento de casos de internação no estado e superlotação de UTI e de enfermaria lotados em Sergipe, os cuidados de biossegurança se fazem ainda mais necessários no dia a dia. Máscara facial, higienização das mãos, uso de álcool 70, distanciamento social devem fazer parte da rotina seja em ambiente profissional, escolar ou de lazer.


outora em Saúde e Ambiente e responsável pela Biossegurança da Universidade Tiradentes, Adriana Guimarães (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)

outora em Saúde e Ambiente e responsável pela Biossegurança da Universidade Tiradentes, Adriana Guimarães (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)

Obrigatória em ambientes externos, a máscara facial pode ser de pano ou profissional (cirúrgica). A doutora em Saúde e Ambiente e responsável pela Biossegurança da Universidade Tiradentes, Adriana Guimarães, explica as recomendações e o porquê as máscaras de tricô não são aconselhadas.


“A máscara de proteção pode ser de tecido, de preferência de algodão, cirúrgica, N-95. A máscara de tricô não serve para proteção de covid-19 porque a trama não protege totalmente. A pandemia não acabou, portanto, é preciso respeitar o distanciamento social nas filas, nos ambientes públicos, nas escadas”.


Tipos de máscaras
As máscaras faciais podem ser feitas de tecido, de forma caseira ou não, e as máscaras profissionais, testadas e aprovadas pela Vigilância Sanitária. Para fazer a máscara de tecido, a recomendação é tecido triplo.


“Quem fizer a máscara em casa, precisa ficar atento ao tipo de tecido e às camadas. Tudo que foi prescrito pela OMS deve ser mantido até segunda ordem”, diz.


Uma forma de saber se a máscara caseira é eficiente ou não é observar a máscara contra a luz: se for possível enxergar do outro lado através da malha, é melhor trocar o artefato.


O outro teste pode ser feito com uma vela acesa: se, ao assoprar, a vela apagar, é preciso trocar a máscara porque ela já perdeu a capacidade de filtração.


Manuseio correto
Para usar regularmente as máscaras protetoras é necessário cuidado no manuseamento e uso para evitar exposição à covid-19.


O manuseio deve ser feito apenas pelos elásticos ou atilhos. Após retirar do rosto, o próprio usuário deve, no caso de máscara de tecido, lavar de imediato com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 20 minutos para higienização total.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação