Aracaju (SE), 10 de julho de 2020
POR: Evanice Filha
Fonte: Assessoria Dr. Gonzaga/ CMA
Em: 29/05/2020 às 09h10
Pub.: 29 de maio de 2020

Os malefícios do fumo já é associado ao Covid-19


Os malefícios do fumo já é associado ao Covid-19 (Foto: César de Oliveira/ CMA)

Os malefícios do fumo já é associado ao Covid-19 (Foto: César de Oliveira/ CMA)

O vereador Dr. Gonzaga (PSD) lembra o Dia Mundial sem Tabaco, celebrado no dia 31 de maio, e o empenho da Organização Mundial de Saúde na luta contra o tabaco em todo mundo. O parlamentar enfatizou a necessidade de destacar a data para conscientizar a população fumante sobre os malefícios causados pelo hábito de fumar, sobretudo em relação às doenças desencadeadas pelo tabaco, acrescentando que, segundo dados oficiais, somente em 2019 cerca de oito milhões de pessoas morreram por doenças relacionadas ao tabaco.


Segundo estudos recentes, o uso de tabaco aumenta o risco de infecção do vírus Covid-19 e desencadeia a forma grave da doença, aumentando a chance dos pacientes serem internados. Os resultados mostraram que os fumantes tinham um risco 14% maior de desenvolver sintomas compatíveis com diagnóstico de Covid-19, como tosse persistente e febre. Eles também mostraram uma chance 50% maior de sofrer outros sintomas, como diarreia, perda de apetite e delírio.


Dr. Gonzaga apresentou dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), informando que 428 pessoas morrem por dia por causa da dependência de nicotina. O parlamentar também falou sobre algumas notícias positivas que se vem observando nos últimos anos. “Quando se iniciou a batalha da proibição de fumar em locais públicos, na maioria das regiões do País, 34% dos adultos fumavam, sendo que em 2018 esse índice caiu para 11%”, comemorou. “Isso se deve também a proibição das propagadas de cigarro nas mídias, especialmente a televisiva e às contrapropagandas inseridas nos maços de cigarros, alertando sobre os riscos de infarto do miocárdio e câncer, entre outros males”, disse.


Segundo o vereador 3% das pessoas que morrem de câncer no pulmão são fumantes passivos, que convivem diariamente com fumantes. Esse fumante passivo chega a consumir o equivalente a quatro cigarros por dia e tem um risco 30% maior de desenvolver câncer de pulmão do que alguém não exposto à fumaça. “Outro problema que vem crescendo nos últimos anos é o uso do cigarro eletrônico, que contém tabaco e causa o mesmo problema tóxico que o cigarro comum, e que em alguns casos possui até 10 vezes mais nicotina, o que requer uma atenção maior no sentido de ampliar as medidas efetivas para conter esse consumo”, alertou.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação