19 de novembro de 2019
POR: Evenilson Santana
Fonte: Assessoria Cabo Amintas/ CMA
Em: 19/11/2019 às 12h10

Cabo Amintas investiga denúncias de crimes dentro da Guarda Municipal de Aracaju


Na manhã desta terça-feira, 19, o vereador Cabo Amintas (PTB) utilizou a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) para sair em defesa dos guardas municipais de Aracaju com relação às denúncias de improbidade administrativa e falou, também, sobre a atitude polêmica dos seguranças da Igreja Universal do Reino de Deus.


Cabo Amintas investiga denúncias de crimes dentro da Guarda Municipal de Aracaju (Foto: Gilton Rosas/ CMA)

Cabo Amintas investiga denúncias de crimes dentro da Guarda Municipal de Aracaju (Foto: Gilton Rosas/ CMA)


O parlamentar iniciou seu discurso afirmando que recebeu denúncias de crimes de perseguição dentro da Guarda Municipal de Aracaju (GMA).


"Desde a semana passada tenho pedido o apoio dos colegas vereadores para denunciar a prática de crimes de improbidade na direção da unidade da Guarda. Todos sabem o carinho, o respeito e a admiração que tenho pelos guardas municipais, mas, pelos que trabalham e não pelos apadrinhados. Tenho uma lista de guardas que são apadrinhados, tem guarda municipal que recebe R$ 14 mil, e que tira duas escalas no mesmo horário. Como é possível? É Deus? Esses "onipresentes" que se preparem! Vamos levar a direção da GMA ao Ministério Público, não vamos admitir que façam política dentro da Guarda e persigam pessoas. Não vou aceitar isso calado", denunciou Amintas.


Logo depois, falou sobre o vídeo que teve repercussão em suas redes sociais, que mostra seguranças da Igreja Universal humilhando, agredindo e expulsando um morador de rua deficiente na calçada da igreja.


"Esses seguranças estão prestando serviço à Igreja Universal. Hoje em dia não se faz mais nada escondido. Nessa cena os senhores podem ver que um dos seguranças joga a tigela com água na cabeça do homem morador de rua e depois o agride com tapas. Deixo claro que não culpo a Igreja Universal por isso, mas tem um pastor que ainda afirma que não houve agressão. Em resumo, posso dizer que esse pastor provavelmente é candidato no próximo ano na cidade de Nossa Senhora do Socorro. O que ele quer é aparecer às custas daquele que foi humilhado", expôs o vereador.


Por fim, Amintas reafirmou que não culpa a Igreja Universal do Reino de Deus pela atitude dos seus seguranças.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação