19 de agosto de 2019
POR: Ferreira Filho
Fonte: Ferreira Filho
Em: 19/08/2019 às 07h09

Habilidade e estratégia de RV



Segunda-feira, 19 de agosto de 2019


Habilidade e estratégia de RV


Os políticos mais antigos sabem o que significa comandar uma sigla partidária, principalmente, no processo eleitoral efetivamente.


Geralmente buscam a capital federal, onde fazem contatos com líderes influentes na executiva nacional dos partidos, que possam sugerir a troca de comando nos estados e municípios. Nada anormal.


Para quem tem mandato fica mais fácil conquistar o comando de uma sigla partidária, ainda mais se o mandato for de deputado federal. É que a cláusula de barreira e o fundo partidário fazem cálculo pelas ocupações de cadeiras na Câmara Federal por cada partido.


Quem vem surpreendendo o ambiente político sergipano é o deputado estadual Rodrigo Valadares, PTB, que além de se posicionar com veemência contra os governos estadual e da capital, se articula com habilidade, dentro de uma estratégia que lhe favoreça nos seus projetos futuros.
Presidente estadual do PTB, depois de resistir as inúmeras tentativas de perder o partido para os caçadores de siglas em Brasília, Rodrigo agora surge como o novo comandante do PSL em Sergipe, que deve ter seu irmão como presidente.


O deputado Rodrigo Valadares já disse que pretende disputar a sucessão de Edvaldo Nogueira, e sabe que precisa de alguns fatores que lhe favoreçam, além da sua vontade apenas. Um desses fatores é uma coligação para lhe garantir financiamento, e tempo de televisão. O PSL além de ser o partido do atual presidente da república, Jair Bolsonaro, foi um dos partidos que fez uma bancada de federal surpreendente.


Logo que correu a notícia do comando do PSL em Sergipe para Rodrigo Valadares, o parlamentar passou a ser alvo de todo tipo de críticas, pois, a comunidade política sabe o que significa ele presidir o PTB, e comandar outra sigla aqui em Sergipe.


O fato de ter feito uma campanha com alguns candidatos do PT em 2018, tem motivado alguns chamá-lo de oportunista. Aqui em Sergipe ninguém, ninguém mesmo, pode falar de alianças de passado, presente e futuro. Como se diz: "todos já estiveram juntos em algum momento da política no estado.
Falem o que quiser, mas, o que ninguém vai negar, é a habilidade e estratégia que Rodrigo Valadares vem se articulando para o fortalecimento de seu projeto.



Baixa no MDB
O jovem Juraci Nunes, atualmente secretário geral do MDB de Aracaju, anunciou neste final de semana sua aída do partdo, e sua pretensão de disputar a prefeitura da capital em 2020. O desejo de ser prefeito de Aracaju foi a única justificativa apresentada por ele para deixar o MDB. Seja qual for o motivo, é mais uma baixa, além das anunciadas e impedidas por se tratarem de parlamentares estaduais, depois que o ex-governador Jackson Barreto assumiu o comando do MDB de Aracaju.



Puto da vida
João Tarantela conversou com o jornalista Munir Darrage, e disparou contra o fato ocorrido no PSL. "O ex-presidente do PSL em Sergipe, empresário João Tarantela, está disposto a ir até as últimas conseqüências para ficar no comando do partido no estado e, para isso avisa: “o que eu não vou aceitar desse filhote de jacaré, dessa corja, desse picareta, é que venha para nosso partido, porque eu fui a primeira pessoa que foi para as esquinas e as pessoas me chamavam de louco e eu não vou aceitar que essa corja venha querer tomar conta”, avisou o empresário".


Puto da vida II
"João Tarantela deixou claro que vai lutar para se manter no partido, ficar no comando e diz que na eleição passada, “tramaram para me derrubar e agora eu vou dizer de onde que saiu. De Emília Corrêa juntamente com Milton e Valdir Viana que era o presidente do partido. Tem coisa na política sergipana que você não fica sabendo. Ai você vê essas pessoas com carinha de santo dando entrevista na televisão e no rádio e por dentro, é esquema da malandragem da velha política”, afirma Tarantela". Todo conteúdo do bate papo está no portal faxaju.com.br.



Procuradoria Geral da República
O primeiro mandato de dois anos da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, termina no dia 17 de setembro. A renovação do mandato de Dodge pelo mesmo período ou a escolha de um novo procurador depende de uma indicação do presidente Jair Bolsonaro. Antes de tomar posse, o escolhido precisa ser sabatinado pelo Senado e ter nome aprovado pelo plenário da Casa. Não há prazo legal para indicação.Além da tradicional lista tríplice elaborada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), mais dois subprocuradores correm por fora e também podem ser indicados. Bolsonaro não é obrigado por lei a seguir uma indicação da lista tríplice.



Mega Sena acumulada
Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.180 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (17) em São Paulo. O prêmio acumulou. As dezenas sorteadas foram: 10 – 12 – 16 – 21 – 28 – 38. A quina teve 95 apostas ganhadoras; cada um receberá R$ 28.276,52. Já a quadra teve 6.869 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 558,67.

 


Rodrigo Valadares - Foto de arquivo: Jadilson Simões/Alese
Contato: ferreirappa@gmail.com/Zap: 79 9 9987 2966
Mais Colunas

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação