Aracaju (SE), 20 de outubro de 2020
POR: Assessoria de Imprensa Unit
Fonte: Assessoria de Imprensa Unit
Em: 22/09/2020 às 14h32
Pub.: 22 de setembro de 2020

Rede de Leitura Inclusiva estimula leitura por meio de tecnologias assistivas e metodologias ativas


A Universidade Tiradentes, por meio da Biblioteca Central Jacinto Uchôa e do Núcleo de Apoio Pedagógico e Psicossocial – NAPPS – da instituição de ensino, participou de mais uma edição da Rede de Leitura Inclusiva de Sergipe. Em sua 5ª edição, o encontro foi realizado de forma totalmente online pelo canal do YouTube da Rede de Leitura Inclusiva.


Este ano, a iniciativa teve como objetivo discutir alternativas que promovam a acessibilidade e a inclusão de pessoas com deficiência, além de estimular a leitura por meio de tecnologias assistivas e metodologias ativas. A Rede, coordenada nacionalmente pela Fundação Dorina Nowill para cegos, reúne diversas organizações e pessoas comprometidas em ampliar as oportunidades de acesso ao livro e à leitura para todas as pessoas.   


Gislene Dias, bibliotecária (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)

Gislene Dias, bibliotecária (Foto: Assessoria de Imprensa Unit)

“Desde 2015, a Unit integra a rede de leitura. Por meio da Biblioteca Central, possuímos uma grande preocupação com questão da acessibilidade. É uma biblioteca para todos, atendendo a todo tipo de usuário. Sempre tivemos esse cuidado, esse zelo com a questão da acessibilidade, da diversidade e da inclusão para atender ao nosso usuário”, declara Gislene Dias, bibliotecária. 


Durante cinco dias, o encontro discutiu temáticas voltadas às tecnologias assistivas a serviço da inclusão social. 


“É muito importante o encontro e a participação da instituição de ensino na Rede. É uma troca de informações e experiências bastante relevantes. A Biblioteca Central da Unit e o NAPPS atuam diretamente com estudantes com deficiência e ter uma olhar diferenciado para este aluno”, salienta a coordenadora do NAPPS, professora Kátia Araújo.


“É um trabalho integrado com diversos equipamentos da biblioteca inclusiva. Possuímos impressora em braille, computadores adaptados com sistemas sintetizadores de voz para facilitar para o aluno cego, além dos intérpretes de libras para os alunos surdos. Nossa atuação é voltada de forma com que o aluno se sinta incluído no processo de ensino-aprendizagem”, acrescenta. 


O evento contou com a presença de intérpretes de libras do NAPPS Cledineide Silva, Cristina Oliveira, Elisana Alves e Rigleisson Feitosa, além dos colaboradores Jonhhy Wallace Carvalho e Jonnathan Rodrigues na mediação do chat.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação