26 de agosto de 2019
POR: Raquel Passos
Fonte: Assessoria Unit
Em: 26/08/2019 às 12h32

Transformação de faculdade em universidade gera desenvolvimento econômico e social no bairro Farolândia


Unit passa a ser universidade em 1994, um ano depois, o campus Farolândia é inaugurado, gerando desenvolvimento socioeconômico na região e tornando o bairro um dos mais procurados para moradia.


Primeiro bloco do campus Unit Farolândia em 1995 (Foto: Acervo Unit)

Primeiro bloco do campus Unit Farolândia em 1995 (Foto: Acervo Unit)


Há 25 anos, a então faculdade era alçada à Universidade Tiradentes – Unit. Com isso, a sociedade conheceu uma instituição de ensino superior que em pouco tempo se tornaria referência em inovação, pesquisa, ensino e desenvolvimento social não só em solo sergipano, mas conquistando parcerias científicas mundo afora, como a que resultou na instalação do Tiradentes Institute nos Estados Unidos. 


Para contar essa história de sucesso, a trajetória de profissionais como Sílvio Raimundo Canto Sacramento precisa ser resgatada. Ele entrou na instituição sergipana de ensino superior em 1998 como estagiário do setor responsável pelo processo seletivo, onde segue até os dias atuais enquanto colaborador. Sílvio não só percebeu como o bairro Farolândia se transformou de lá para cá, como ainda lembra bem o formato em que o vestibular era realizado naquela época. 


“Uma equipe de dez pessoas organizava, digitava e separava manualmente os cartões de inscrição dos candidatos. A informatização trouxe mudanças significativas porque até o início dos anos 2000, para ter acesso ao edital e para fazer inscrição, a pessoa precisava ir aos Correios, e as provas duravam até quatro dias. Demorávamos um mês para finalizar as inscrições, e o resultado era no famoso listão. A tecnologia ajudou muito para que o processo seletivo se tornasse mais rápido, seguro e eficiente”, afirma, lembrando que o resultado atualmente já é divulgado via WhatsApp.


Nesse tempo, a IES sergipana comandada pelo reitor Jouberto Uchôa de Mendonça já formou mais de 70 mil pessoas que lutam, diariamente, por um mundo melhor. “Quando inauguramos o campus Farolândia da Unit em 1994, só existia mesmo o conjunto Augusto Franco na região, além do farol, é claro. Os lotes onde construímos a instituição eram de um sítio, realizamos as obras e mantemos a capelinha, que segue em funcionamento até hoje, aberta à comunidade”, afirma Uchôa.


Para o reitor, é impossível não confundir o crescimento do bairro Farolândia com o da universidade. “A chegada do campus gerou emprego e desenvolvimento com o despertar imobiliário para a região diante da demanda de estudantes que vinham do interior e de outros estados para estudar na Unit. Afinal, eles passavam a viver em Aracaju por conta dos estudos, e até hoje é assim. Sem contar nos professores e funcionários que movimentam a economia da região, fazendo com que a Farolândia seja um dos bairros mais agradáveis de se viver”, acredita Uchôa.


Nesse período, muita coisa mudou. Não somente no desenvolvimento urbano da região, inclusive no mercado de trabalho. A previsão da especialista em empregabilidade Janaína Machado para os próximos anos é que se configure em um novo formato. “Com certeza, em cinco anos, o cenário vai estar muito mais exigente, digitalmente falando! Quem souber usar a tecnologia para conquistar habilidades a favor da gestão, acredito que ganhará destaque. Os que tiverem diploma e fizerem essa conversão com rapidez poderão conquistar o que quiserem dentro do mercado de trabalho em longo prazo”, explica a especialista, gerente do Unit Carreiras, Janaína Machado.


Desenvolvimento econômico
Em outubro Kátia Moreira, 55 anos, mãe de três filhas, completará 21 anos desde que empreendeu pela primeira vez na vida. E esse marco histórico está cravado até hoje no campus Unit Farolândia. Assim que chegou em Aracaju, em 1998, a baiana decidiu investir em uma lanchonete, que viraria restaurante e transformaria sua vida.


“Saí de Salvador trabalhando como vendedora de automóveis e achei que seguiria no ramo, mas em Aracaju encontrei um mercado muito diferente. Foi quando resolvi que abriria meu próprio negócio mesmo sem saber ainda o que e onde seria”, lembra.


Kátia foi apresentada ao Campus Farolândia, que na época era considerado um ponto turístico, e conheceu o minishopping. “Quando vi que a lanchonete ‘Rang Bem’ estava à venda, apontei para ela e disse: ‘será minha’. E estou até hoje nesse mesmo lugar. Foi trabalhando aqui que formei duas filhas, inclusive, uma em Administração e outra em Enfermagem. Eu gosto do que faço e é por isso que estou aqui até hoje, predestinada com meu negócio, faça chuva, faça sol, há 21 anos trabalhando dentro do campus Unit Farolândia”, finaliza.


 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação