13 de março de 2019
POR: ASN
Fonte: ASN
Em: 12/03/2019 às 16h13

Deso esclarece causas de espuma branca encontrada no Rio Poxim


A conclusão é de que a situação encontrada é a mesma do final do ano passado, onde a Deso fez análises e viu que existe um efluente que está sendo lançado na estação de tratamento, vindo através das redes coletoras, e que tem um grau surfactante muito além da capacidade da estação.


Deso esclarece causas de espuma branca encontrada no Rio Poxim (Imagem: ASN)

Deso esclarece causas de espuma branca encontrada no Rio Poxim (Imagem: ASN)

A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) informa através da Diretoria de Operação e Manutenção, que foi feita reunião na manhã desta segunda-feira (11) para avaliar as causas da espuma branca encontrada no Rio Poxim, próximo ao trecho da Ponte entre os Conjuntos Orlando Dantas e Marivan em Aracaju, no último dia 8 de março. 


A conclusão é de que a situação encontrada é a mesma do final do ano passado, onde a Deso fez análises e viu que existe um efluente que está sendo lançado na estação de tratamento, vindo através das redes coletoras, e que tem um grau surfactante muito além da capacidade da estação.


A exemplo disso, foi feita inspeção em uma fábrica de detergente e sabão, próximo ao local, onde foi identificado o lançamento de um efluente com características não domiciliar, ou seja, efluente industrial nessa rede coletora, que leva esse efluente para a área da Companhia. Isso também foi matéria de defesa enviada para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Aracaju – SEMA, no sentido de explicar que a situação não foi causada pela Deso, mas por esses lançamentos indevidos ao longo de toda a rede e serviu como exemplo de que pode estar acontecendo isso em outras fábricas, inclusive em fábricas ou fabriquetas clandestinas, que não possuem licença para operar. 


A Deso é tão vítima quanto a sociedade, no sentido de que, a previsão do tratamento de esgoto é para o domiciliar, sendo um esgoto com características diferentes, atrapalha a operação da empresa. A ocorrência do último final de semana foi ocasionada pelos mesmos motivos que foram gerados no final do ano passado.


É necessário somar forças: Deso e órgãos ambientais, para fiscalizar esses lançamentos indevidos e só assim, serem corrigidas as situações.


A companhia ainda ressalta que o ponto de lançamento mostrado no vídeo divulgado não é de responsabilidade da Deso. O local é uma ponta de ala, onde sai drenagem de toda a bacia da região. A Deso faz o lançamento na drenagem, então outros usuários fazem o lançamento na própria drenagem e isso não descarta a possibilidade desses mesmos usuários estarem lançando também, surfactantes que são materiais que geram essas espumas.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco