Aracaju (SE), 04 de agosto de 2020
POR: ConJur
Fonte: ConJur
Em: 30/06/2020 às 21h47
Pub.: 01 de julho de 2020

"Por equívoco", procuradores de Curitiba gravaram conversas por quatro anos


A procuradora-chefe do Ministério Público Federal no Paraná, Paula Cristina Conti Thá, afirmou em ofício que a autoproclamada "força-tarefa da lava jato" gravou conversas de procuradores, possivelmente com investigados e acusados, sem avisar ninguém. Os grampos ocorreram "por equívoco operacional" desde 2016.


Confira matéria completa em ConJur

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação