27 de Outubro de 2016
POR: Assessoria Setesp/SE
Fonte: Assessoria Setesp/SE

Missão do BID visita Sergipe para ajustes de ações e supervisão de obras do Prodetur


Equipe técnica do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID) esteve em Sergipe no final de setembro para missão denominada administração. O objetivo foi acompanhar os temas mais relevantes para o Prodetur/SE e as obras em execução nos polos Costa dos Coqueirais, que reúne 13 municípios, e do Velho Chico, com 17 cidades sergipanas.


Missão do BID visita Sergipe para ajustes de ações e supervisão de obras do Prodetur (Imagem: Assessoria Setesp/SE)

Missão do BID visita Sergipe para ajustes de ações e supervisão de obras do Prodetur (Imagem: Assessoria Setesp/SE)


Uma missão de administração é uma visita de supervisão, porém que conta com um número mais amplo de especialistas do BID, o que lhe dá um peso estratégico mais importante. Nessa missão, por exemplo, estiveram presentes a chefe de equipe do projeto, especialista na área de turismo, um especialista em aquisições, dois especialistas em salvaguardas, além da equipe que dá suporte operacional à execução. Tudo isso para imprimir um ritmo de execução cada vez maior ao Programa e ampliar a sintonia entre a equipe do Banco e da Unidade de Coordenação do Prodetur(UCP) em Sergipe, sob a responsabilidade da Secretaria de Estado do Turismo e do Esporte (Setesp).


Em uma semana de muito trabalho, os técnicos do BID e da Setesp estiveram reunidos com o objetivo de promover ajustes necessários ao programa em Sergipe, dentre os quais: Revisar os avanços e acordar a reprogramação de atividades do programa, conforme compromisso acordado em junho deste ano; realizar visitas técnicas a obras em execução e a áreas com intervenções previstas; revisar temas relacionados a salvaguardas ambientais e sociais; realizar uma feira de aquisições, a avaliação ex-post de processos licitatórios e apoiar em outros temas relacionados a aquisições; e apoiar o executor na resolução de temas técnicos pendentes à finalização de termos de referência e definição de projetos que se encontram em análise de elegibilidade junto ao Banco.


Juliana Bettini, chefe da missão do BID, disse que visita alcançou os objetivos: “Foi uma missão longa e com uma agenda bastante cheia e executiva. Com o empenho de toda a equipe envolvida, revisamos o planejamento de atividades do Programa e definimos compromissos de acompanhamento para os meses seguintes”.


Quanto à feira de aquisições realizada pela missão do BID, Juliana Bettini destacou que o objetivo foi informar ao setor privado sobre as oportunidades de contratos que estão oferecidas no âmbito do Prodetur/SE  nos próximos 12 a 18 meses, entregando dados-chave para as empresas para saber onde encontrar informações sobre processos de aquisição financiados pelo projeto, de modo a permitir às empresas montar estratégia de participação nos certames. “Informar as empresas é de suma importância para minimizar o risco de baixa participação de empresas nos processos licitatório. Com um mercado mais informado, se aumenta a concorrência, transparência e eficiência dos processos licitatórios, permitindo melhores resultados e um maior impacto do projeto”, disse ela.


A chefe da missão reafirmou que o Prodetur Sergipe está em seu terceiro ano de execução e conta na “UCP com uma equipe cada vez mais completa e empenhada para os grandes desafios dos próximos anos. Até sua finalização, em dezembro de 2018, o Programa terá mais de 60 contratos, entre serviços de consultoria, obras, capacitação, entre outros. Destes, 18 já se encontram finalizados, em fase de execução ou contratados. Esperamos que até o final do período, um valor global que supera os R$ 200 milhões de reais tenha sido investido no desenvolvimento e consolidação dos destinos turísticos dos Polos Costa dos Coqueirais e Velho Chico, entre recursos provenientes do empréstimo e recursos de contrapartida aportados pelo Governo Estadual”.


Cristiana Fernandes Santos, coordenadora geral da UCP/SE, disse que a presença da missão em Sergipe foi de grande importância para o Estado, pois garantirá maior celeridade aos projetos que, segundo o próprio Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), estão em bom ritmo, já que “estamos conseguindo (equipe do Prodetur/SE) atender as demandas do banco, sempre com agilidade e a grande competência técnica”. Acrescentou que “há grande preocupação com a estruturação consciente e responsável do turismo, levando em conta os aspectos social, econômico e ambiental, tendo como estratégia não só os investimentos como, também, educação ambiental, capacitação e mapeamento de áreas turísticas necessárias ao desenvolvimento do turismo como atividade sustentável”.
O secretário de Estado do Turismo e do Esporte, Saulo Eloy, cuja secretaria é responsável pelo desenvolvimento das ações do Prodetur em Sergipe, afirma que o turismo é uma política de governo. “Os impactos positivos gerados pelo Prodetur/SE no turismo sergipano ficam cada vez mais evidentes e vão consolidar os destinos já existentes e criar novos. Com a visão do futuro, tendo a firmeza de fazer da atividade uma constante geradora de emprego e renda, o Governo de Sergipe tem previsto na matriz do programa cerca de R$ 50 milhões para obras de infraestrutura. Obras que não vão ser apenas para o turismo mais, também, um legado à sociedade sergipana. Avançar é o lema e diante disso já estão em processo licitatório obras, de grande importância para o turismo como a nova orla de Aracaju, uma reivindicação antiga dos aracajuanos”.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco