Aracaju (SE), 01 de junho de 2020
POR: Aldaci de Souza
Fonte: Rede Alese
Em: 31/03/2020 às 00h00
Pub.: 31 de março de 2020

Decretos para combater Covid-19 mantidos em Sergipe


O governador Belivaldo Chagas, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira e vários gestores do interior sergipano, estão mantendo apenas o funcionamento parcial de estabelecimentos e órgãos públicos, em virtude da pandemia do novo coronavírus. O objetivo é dar continuidade ao isolamento social, no sentido de evitar a proliferação da Covid-19 entre a população.


Decretos para combater Covid-19 mantidos em Sergipe (Foto: Sergio Silva/ Prefeitura de Aracaju)

Decretos para combater Covid-19 mantidos em Sergipe (Foto: Sergio Silva/ Prefeitura de Aracaju)


Pelo decreto nº 40.560, de 16 de março de 2020 e pelo decreto nº 40.563, de 20 de março de 2020, com medidas de prevenção ao contágio e de enfrentamento da emergência em saúde pública, devem permanecer fechados em todo o estado de Sergipe: igrejas e templos, hotéis, academias, shopping-centers, galerias de lojas, boutiques, clubes, boates e casas de espetáculos;


E ainda, os salões de beleza e clínicas estéticas, clínicas de saúde bucal odontologia, com exceção as que trabalham com urgência e emergência; o comércio de um modo geral, as escolas e as faculdades, os bares e restaurantes (podendo funcionar apenas com serviços de entrega).


Devem continuar funcionando: os serviços de tratamento e abastecimento de água; geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis, incluindo postos de combustível; os estabelecimentos médicos, hospitalares, laboratórios de análises clínicas, farmacêuticos, psicológicos, clínicas de fisioterapia e de vacinação que prestem assistência médica e hospitalar;


A distribuição e comercialização de medicamentos e gêneros alimentícios, tais como farmácias, açougues, supermercados, mercados, feiras, mercearias; os serviços funerários; a captação e tratamento de esgoto e lixo; telecomunicações, processamento de dados ligados aos serviços essenciais, a segurança privada e a imprensa.


Aracaju e Grande Aracaju
A Prefeitura de Aracaju montou um comitê de crise com a finalidade de definir as medidas a exemplo do fechamento temporário do comércio e de diversos remos de atividade econômica, visando resguardar o maior número de pessoas e evitar a proliferação do corionavírus na capital sergipana, cujo número de infectados é de 16.


Mas, alguns serviços são essenciais para que as pessoas possam se manter bem durante o período de quarentena, o que exige alterações no atendimento aos cidadãos.


No decreto publicado pela Prefeitura de Aracaju na segunda-feira, 23 de março,ficou determinado, entre outros pontos, a suspensão da realização de feiras até o dia 6 de abril, período que servirá para análise de iniciativas, visando atender as regras de distanciamento social e higienização.


Os mercados municipais e setoriais também tiveram o horário de funcionamento alterado, passando a funcionar das 5h30 às 13h30, inclusive para os estabelecimentos com acesso externos. A coleta de lixo e a limpeza da cidade, continuam funcionando normalmente.


As escolas da rede municipal estão fechadas e a prefeitura está fornecendo a merenda escolar para os alunos. As unidades de Saúde e órgãos públicos municipais também estão trabalhando com restrição de horários, para que não haja aglomerações, assim como as agências bancárias.


O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu com os prefeitos das cidades que formam a Grande Aracaju: Barra dos Coqueiros (Ailton Martins), Nossa Senhora do Socorro (Padre Inaldo) e São Cristóvão (Marcos Santana), que acompanhados dos gestores da saúde, avaliaram como importantes as medidas adotadas no combate à pandemia.


Os gestores estão mantendo reuniões com comitês locais e conseguindo manter os municípios sem o registro de casos na Grande Aracaju.


Supermercados e farmácias
A Associação Sergipana de Supermercados (Ases), que possui cerca de 200 estabelecimentos associados, somente em Aracaju, orientou os estabelecimentos, de acordo com os decretos municipais e estaduais, a exemplo da fixação de horário exclusivo para atendimento a clientes acima de 60 anos e demais pessoas do grupo de risco, a sinalização dos espaços limitados para espera, considerando a distância mínima de dois metros e a disponibilização de álcool para o uso de clientes e colaboradores.


As redes farmacêuticas também têm adotado as recomendações e prezado pelo bem dos clientes e colaboradores.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação