25 de março de 2020
POR: SES/SE
Fonte: SES/SE
Em: 25/03/2020 às 15h55

Outono é período de agravo de doenças respiratórias


Outono é período de agravo de doenças respiratórias (Foto: SES/SE)

Outono é período de agravo de doenças respiratórias (Foto: SES/SE)

O outono começou e com ele a temporada das doenças respiratórias, o que representa um risco em tempos do novo coronavírus (Covid-19). Como o outono é a estação onde as manhãs são quentes e as noites são frias e com maior incidência de chuva, é nesse período também que a atenção deve ser redobrada quanto aos cuidados com as principais doenças dessa estação, como a gripe, pneumonia, sinusite, rinite, bronquite e laringite, ocasionadas pela oscilação da temperatura e que atingem as vias respiratórias.


Com as temperaturas mais baixas as pessoas tendem a buscar lugares fechados, onde há aglomerações e isso predispõe à disseminação por vírus e bactérias que entram no corpo, contagiando através de gotículas dispersos no ar e pelo contato com superfícies contaminadas. Crianças, idosos e portadores com doenças crônicas devem manter atenção redobrada também com a saúde nessa época do ano. O clínico geral, André Brandão, faz um alerta sobre os cuidados que as pessoas devem ter nesse período.


“A atenção e o alerta servem para todos. Com a pandemia do coronavírus a atenção deve aumentar, por isso, a dica que eu dou é que mantenham a hidratação com água e sucos ricos em vitamina C, lavar as frutas é essencial e evitar alimentos preparados de forma duvidosa. Outro quesito é não estar em lugares com aglomeração de pessoas e lavar sempre as mãos. Tomando esses cuidados já vai evitar muito essas doenças da estação. A vacinação para a gripe já começou e isso é muito importante, pois ela diminui a incidência dessa enfermidade”, explicou o médico.


Diferenças
O infectologista da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Marco Aurélio Góis, destaca que os sintomas podem ser muito semelhantes nas formas leves. Segundo ele, a Covid-19 pode parecer um resfriado, pode parecer uma gripe e pode evoluir para formas mais graves. Então, é importante saber a hora de procurar o serviço de saúde.


“Se a pessoa tem sintomas leves como  coriza, nariz escorrendo, deve tratá-los como geralmente faz, sobretudo, hidratando-se, sem procurar o serviço de saúde. Quanto às pessoas que têm rinites, estas já estão habituadas a usar medicamentos para diminuir esse corrimento nasal, também devem se cuidar em casa. Se além da coriza a pessoa começa a ter febre, que é sempre um sinal de alerta, deve observar o comportamento destes sintomas. Se a febre parou ou se mantiver leve, a orientação é hidratar-se em casa mesmo. Mas se, além da coriza e da febre, a pessoa começa a tossir é importante ser avaliado por um profissional de saúde.”,  orienta Marco Aurélio.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação