26 de abril de 2019
POR: PMA
Fonte: PMA
Em: 25/04/2019 às 08h54

Outono viral: mudança de clima requer mais cuidado contra viroses


Começou o período chuvoso e, com ele, a maior proliferação de vírus. Por ser uma época mais fria, o Outono Viral, nomenclatura dada a esta época do ano, acaba trazendo com ele maior incidência de doenças como gripe, resfriado, rinite e sinusite, sem contar possíveis infecções de origem pulmonar. Por causa do frio, a tendência é que as pessoas fiquem em locais fechados por mais tempo, o que favorece a circulação de vírus como o da gripe.


Mariana explica porque os vírus se proliferam mais nessa época (Fotos: Silvio Rocha/ PMA)

Mariana explica porque os vírus se proliferam mais nessa época (Fotos: Silvio Rocha/ PMA)

De acordo com a técnica da rede municipal de Programas de Vigilância em Saúde, Mariana Aragão, nesta época do ano, essas doenças são mais propensas devido ao clima. "Essas doenças surgem como uma consequência das baixas temperaturas. As crianças, principalmente, e os idosos, que são as faixas etárias de extremo, acabam ficando vulneráveis. A temperatura cai, começa o espirro, as pessoas costumam fechar muito o ambiente onde vivem, e também tem a questão da poeira. É uma associação de fatores que fazem com que o vírus tenha maior circulação e as pessoas adoeçam", explica.


Além disso, em recintos abertos ou fechados, basta que alguém esteja gripado, tossindo ou espirrando para que as partículas liberadas pelas vias respiratórias se espalhem, contaminando mãos, objetos, portas, corrimões, mesas, sofás, portas de veículos, celulares, tablets, laptops e tudo o mais que possa alojar microrganismos. "Existem aquelas doenças que têm um período de circulação, a sazonalidade como a gente chama. Os vírus, que antigamente começavam a circular no período de outono/inverno, que é o período chuvoso, estão tendo uma sazonalidade maior. Então, desde o mês de março, estamos considerando essa sazonalidade. Ano passado, perdurou até setembro", pontua Mariana Aragão.


Monitoramento
Em Aracaju, existem unidades sentinelas voltadas para o monitoramento desses vírus. Sergipe monitora os vírus, mas apenas o município de Aracaju tem unidades implantadas. Essas unidades sentinelas são responsáveis pela busca ativa de pacientes com sintomas gripais, e coleta de material que é encaminhado para o Laboratório Central (Lacen), onde é realizada uma análise para saber durante todo o ano qual vírus está circulando. "Aracaju é uma referência no estado de Sergipe por ser uma unidade sentinela, baseada nessa vigilância, nesse monitoramento que a gente faz todo ano, intensificado no período de sazonalidade. Estamos intensificando já o número de notificações, não só de casos de síndrome gripal, mas de casos de síndromes respiratórias agudas graves, que é aquele paciente que começou com uma febre, tosse, uma dor na garganta e aí começa a ter um certo comprometimento da parte respiratória", explica Mariana.


Nas unidades de urgência e emergência do município já foi verificado o aumento de casos de doenças que se manifestam em maior quantidade nesse período. "No nosso atendimento de urgência, já começou a demanda de doenças respiratórias, abdominais, vômitos, diarreia e febres constantes, principalmente na parte de pediatria. O nosso maior índice é com as crianças por conta de imunidade, porque são mais sensíveis em relação a isso", informa a técnica da Rede de Urgência e Emergência (Reue), Ana Paula Leite.  A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva e o Hospital de Pequeno Porte (HPP) Fernando Franco estão prontos para receber a população que necessita. O Nestor Piva atende somente os adultos, e o Fernando Franco atende adultos e crianças.


Prevenção
Para evitar o contágio, a técnica recomenda que as pessoas tomem alguns cuidados simples. "A gente sempre orienta que as pessoas evitem locais aglomerados, lavem sempre as mãos, pois elas são um meio muito fácil de contaminação. Ao tossir ou espirrar, utilizar um lenço descartável. Se estiver doente, evitar sair de casa e estar em locais aglomerados. São cuidados bobos que podemos fazer durante todo o ano, que não servem apenas para a questão respiratória", afirma Ana Paula. Ainda, é importante ingerir líquidos, mantendo a hidratação do corpo e fortalecendo o sistema imunológico.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação