Aracaju (SE), 24 de outubro de 2020
POR: Marcio Rocha
Fonte: Marcio Rocha
Em: 18/09/2020 às 19h01
Pub.: 21 de setembro de 2020

Este é o momento de nosso turismo ser protagonista nacional :: Por Marcio Rocha


Márcio Rocha (Foto: Arquivo pessoal)

Márcio Rocha (Foto: Arquivo pessoal)

Sergipe é um estado que tem um potencial turístico muito grande, mas pouco explorado ao longo dos anos. Muito se falou por décadas, ações foram tomadas, mas não existe uma política de Estado aliado às empresas do segmento para ser aplicada de modo plurianual. O que se faz na questão do desenvolvimento do turismo em Sergipe é muita questão de política de governo, no qual promovem a inserção dos empresários do setor para discutir e opinar. A bem da verdade, existem ações direcionadas, mas a política de turismo, quando muda o gestor, mudam as prioridades. Acredito que tenha sido a pasta com maior troca de comando ao longo dos últimos governos. Essa instabilidade prejudica o andamento das ações.


Já vimos “N” planejamentos serem desenvolvidos, mas pouca efetividade nas ações. Isso provoca uma reação nada agradável no setor empresarial. Contudo, estamos num bom momento da gestão da pasta, com uma pessoa interessada no planejamento de ações. Posso dizer isso com clareza, pois observo o interesse do secretário Sales Neto em dialogar com o setor e buscar entender quais os principais gargalos que atravancam a atividade no estado, buscando soluções ouvindo a classe empresarial e as entidades representativas dos empreendimentos do setor. O caminho para desenvolver sempre é o diálogo. Pois a partir dele entende-se o cenário e aplicam-se as soluções e medidas necessárias.


A pandemia nos colocou numa situação de completa letargia no que diz respeito ao turismo, atividade econômica que somada aos eventos, emprega direta ou indiretamente, mais de 150 mil pessoas em Sergipe. O pouco que tínhamos de frequência na nossa hotelaria e serviços correlatos do turismo foi a zero em questão de dias. Era, infelizmente uma medida necessária, enquanto tínhamos diagnóstico médio 1.330 casos de COVID-19 por dia, na pior semana do período da pandemia, a terceira de julho. Contudo, atualmente temos diagnóstico de 8% do que acontecia há sete semanas, com média de 105 casos e cinco mortes atribuídas à doença por dia, nesta semana, mais especificamente. A situação em Sergipe mostra que o estado é um ponto fora da curva e se tornou um ambiente seguro para os sergipanos e para os turistas.


Conversando com o superintendente da Fecomércio, Maurício Gonçalves, estávamos falando sobre como Sergipe pode surfar na onda da recuperação da economia do estado. O setor que mais apresenta preocupação é justamente o de turismo, pois a fuga de hóspedes de nossa hotelaria foi imensa e não está sendo recuperada adequadamente. Contudo, o momento para estimular a vinda do turista para Sergipe é esse. Estamos na situação mais confortável do Brasil no que tange à pandemia e em franca recessão nas taxas de transmissão da doença. Além de termos uma excelente condição de recepção de turistas para conhecer as belezas de nosso estado com segurança para evitar o contágio e manter a preservação da vida, aliada à salvação da economia do nosso estado, salvando as empresas do segmento de turismo.


Sergipe tem a grande chance de ser o melhor destino turístico do Brasil, essa é a oportunidade. O momento ideal para que possamos receber pessoas de todos os lugares do país. Segundo pesquisas que observei, um dos três principais desejos das pessoas nesse momento de retração da pandemia em vários estados é viajar. E Sergipe hoje é o estado mais seguro do Brasil, no que concerne a contaminação da doença. Nosso turismo é marcado como lazer e eventos corporativos, e isso pode ser potencializado se estimularmos sem muita demora, a realização desse tipo de ação. Com isso, o setor de eventos também inicia sua retomada de fato, pois ainda está sentindo o rebote dos impactos da pandemia. Turismo e eventos seriam os últimos setores a apresentarem recuperação. Entretanto, podem se destacar e sair na vantagem, elevando nosso estado à condição de protagonista no cenário do turismo nacional. 


Cabe neste momento a discussão entre os agentes participativos de como poder colocar em prática a retomada das atividades de modo mais acelerado, mostrar para os turistas que só os nossos 70 km de estuário entre Aracaju e Pirambu, descartando os locais sem infraestrutura de atendimento, temos uma grande margem para garantir até mesmo a distância segura para os banhistas. Obviamente, para isso, deve haver uma fiscalização por parte da autoridade competente. O superintendente do Sebrae, professor Paulo do Eirado, disse algo interessante no Webinar “Passos Para a Recuperação” que a Fecomércio realizou na última quinta-feira: “Temos praias com faixa de areia grande, o que permite colocar os turistas em distanciamento social seguro”, e isso é uma grande verdade. Aproveitemos essa nossa “estrutura natural” do melhor modo para que possamos alavancar nosso turismo. Agora é a hora de mostrar que Sergipe é o estado mais seguro do Brasil nesta pandemia, pois estamos em uma situação excelente do controle da doença. Isso, como disse o presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, “vai estimular o nosso pequeno negócio, ajudar a recuperar os empregos dos sergipanos, levantando nossa autoestima como estado e dando nova robustez à nossa economia”. A hora de nos tornamos protagonistas nacionais é essa.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação