Aracaju (SE), 28 de setembro de 2020
POR: Carla Passos
Fonte: Carla Passos
Em: 08/09/2020 às 00h00
Pub.: 08 de setembro de 2020

Que tal fazer um cruzeiro no Caribe e ainda conhecer a cultura Maia? :: Por Carla Passos


A melhor forma de conhecer o Caribe é a bordo de um navio porque você não precisa se preocupar com hospedagem, organização de passeios e escolha de restaurante. Cada dia o navio para em um país diferente e você tem o dia inteiro para passear nesse novo lugar. Existem três opções de roteiro: Caribe Leste e Oeste que partem de Miami e o Caribe Sul, que parte do Panamá ou Cartagena, na Colômbia.


Partindo de Miami tem ótimos cruzeiros, com melhor infraestrutura e preços bem mais baixos do que no Brasil. Compensa, inclusive, o valor da passagem internacional (Foto: Carla Passos)

Partindo de Miami tem ótimos cruzeiros, com melhor infraestrutura e preços bem mais baixos do que no Brasil. Compensa, inclusive, o valor da passagem internacional (Foto: Carla Passos)


Nossa primeira parada foi em Cozumel, local muito procurado para mergulho, que encontram na ilha mexicana águas quentes e claras, além de muita vida marinha. Outra peculiaridade de Cozumel que atrai e encanta os visitantes é a barreira de corais magnífica que há no sul dessa ilha. O mar de Cozumel é límpido e cristalino e a visibilidade de suas águas é de aproximadamente 30 metros. Aproveitamos para tomar uma autêntica marguerita e almoçar uma típica comida mexicana.


Belíssima Cozumel, ilha muito procurada por mergulhadores (Foto: Carla Passos)

Belíssima Cozumel, ilha muito procurada por mergulhadores (Foto: Carla Passos)


A parada seguinte foi para um dia de sol e mar em Mahogany Bay, em Honduras. Depois seguimos Belize. Essa foi uma parada que decepcionou. A fama de Belize é em função do buraco azul, mas por causa da maré não iriamos poder visitá-lo, então tivemos que nos contentar com o city tour na capital Belize, que não tem praia e a infraestrutura é um pouco precária.


Ruínas de Chacchoben, na Penísula de Yucatan, no México (Foto: Carla Passos)

Ruínas de Chacchoben, na Penísula de Yucatan, no México (Foto: Carla Passos)


A última parada é o ponto alto da viagem: a Costa Maia para uma visita às ruínas de Chacchoben, na Penísula de Yucatan, no México. Localizadas na floresta, essas ruínas datadas de 360 d.C. eram praticamente inexploradas até o início dos anos 2000. As pirâmides restauradas, escadarias e muros são a principal atração do local, que constantemente recebe escavações arqueológicas na busca de novas pistas sobre o povo maia. A uma hora de ônibus do porto, fomos guiadas por Lizabeth, que explicava tudo em inglês, mas também falava um pouco da língua Maia. Grandes observadores dos astros e sua relação com os ciclos da terra, arquitetos, matemáticos rigorosos detalhados, artistas plásticos, os maias construíram grandes templos elevados, cujas fachadas mostram os rostos de seus deuses. Sob sua tutela surgiram cidades harmoniosas, sistemas construídos para conservar a água da chuva e até mesmo para evitar inundações. Eles decifraram os segredos da agricultura e das ciências exatas e desenvolveram calendários com grande precisão para governar o dia, os seus períodos de plantio e para os seus jogos de guerra.


Uma parte importante da cultura dos maias estava relacionada com os sacrifícios humanos. Esses povos acreditavam que o sangue humano era fundamental para o funcionamento do Universo, logo, os sacrifícios eram uma forma de agradar aos deuses e de evitar que o caos reinasse. Assim, o sacrifício humano tinha uma grande importância religiosa.


O sacrifício humano tinha também um papel muito relevante na política maia. Como forma de obter prestígio social e político, os reis organizavam milícias de guerreiros especializados em capturar governantes e pessoas influentes de outras cidades para que fossem sacrificados.


É um passeio incrível, no meio de uma floresta tropical. Depois ainda dá tempo de voltar para a praia para dar um último mergulho antes de voltar ao navio.


Além das paradas, o navio oferece noites super divertidas com jantares, shows no teatro e programações diversas como aula se salsa (Foto: Carla Passos)

Além das paradas, o navio oferece noites super divertidas com jantares, shows no teatro e programações diversas como aula se salsa (Foto: Carla Passos)


Fizemos um cruzeiro de sete dias pela empresa Carnival, que tem excelentes preços e saem sempre de Miami. Nosso cruzeiro foi combinado com alguns dias em Miami, de onde também partimos de carro para Orlando para conhecer o Parque Universal.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação