Aracaju (SE), 28 de setembro de 2020
POR: Lucas Oliver
Fonte: Lucas Oliver
Em: 09/06/2020 às 15h00
Pub.: 09 de junho de 2020

Trabalho infantil deve ser combatido por toda a sociedade, diz advogada


É comemorado, nesta sexta-feira, 12, o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, e a advogada Tatiane Carmo, ressalta a importância da união de forças contra a exploração do trabalho infantil e a violação de direitos.


Instituída mundialmente, há 18 anos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). No Brasil, o 12 de junho foi estabelecido como ‘Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil’ pela Lei Federal 11.542/2007. Em Sergipe, a advogada Tatiane Carmo, que é militante dos Direitos Humanos e dos grupos vulnerais continua na luta pela defesa, proteção e promoção dos direitos das crianças e adolescentes.


“Nos últimos anos, tenho estudado mais ainda sobre as pessoas em situação de vulnerabilidade social. E, desse grupo, duas vertentes me chamam muita atenção que são as mulheres e crianças. E, esta data não pode passar despercebida, pois é preciso dizer não ao trabalho infantil. Afinal, a cada dia descobrimos que o número de crianças e adolescentes são vítimas do trabalho precoce”, relata a advogada Tatiane Carmo.


Segundo a pré-candidata Tatiane Carmo, o trabalho infantil no Brasil faz parte de uma realidade assustadora. “De acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PnadC), em 2016, havia 2,4 milhões de crianças e adolescentes de cinco a 17 anos em situação de trabalho infantil, o que representa 6% da população (40,1 milhões) nesta faixa etária. A maior concentração de trabalho infantil está na faixa etária entre 14 e 17 anos, somando 1,94 milhão. Já a faixa de cinco a nove anos registra 104 mil crianças exploradas pelo trabalho infantil”, acrescenta.


Para a advogada, os números são bem maiores e a boa notícia é que o Brasil assumiu internacionalmente o compromisso de erradicar o trabalho infantil até 2025. “Porém, se permanecer no atual ritmo de combate ao problema, ele não alcançará esta meta. "Por isso, reforço que para o combate do trabalho infantil deve começar a ser combatido por outras violações de direitos ligados a ele. Além de investir na educação e no combate às desigualdades”, pontua.


“A população brasileira ainda tem dificuldade em reconhecer a existência do trabalha infantil, apesar de encontrá-lo diariamente. O trabalho não é uma ferramenta de proteção para a criança. As crianças precisam brincar, estudar, ter condições básicas para viver. O trabalho precoce só as prejudica”, finaliza a pré-candidata a vereadora do município de Aquidabã pelo Cidadania.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação