Aracaju (SE), 27 de fevereiro de 2021
POR: SSP/SE
Fonte: SSP/SE
Em: 05/02/2021 às 07h02
Atualizada: 05/02/2021 às 07h50
Pub.: 05 de fevereiro de 2021

Operação Faroeste Caboclo: Ação conjunta desarticula grupo criminoso na região de Campo do Brito, Macambira e São Domingos


O objetivo da operação é cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão de envolvidos com o tráfico de drogas e homicídios.


Operação Faroeste Caboclo: Ação conjunta desarticula grupo criminoso na região de Campo do Brito, Macambira e São Domingos (Foto: SSP/SE)

Operação Faroeste Caboclo: Ação conjunta desarticula grupo criminoso na região de Campo do Brito, Macambira e São Domingos (Foto: SSP/SE)


Como resultado da operação Faroeste Caboclo, deflagrada pelas polícias Civil e Militar das cidades de São Domingos, Macambira e Campo do Brito, nesta sexta-feira, 5, foi desarticulado um grupo criminoso que atuava no tráfico de drogas na região. No decorrer do processo investigativo, durante sete meses, foram produzidos relatórios de investigação sobre o movimento do comércio ilegal de entorpecentes nas localidades. A ação policial está em andamento e, até o momento, ocorreram 13 prisões e três outros suspeitos entraram em confronto com as equipes policiais.


As investigações apontaram a venda das drogas em Itabaiana, Lagarto, Frei Paulo, Ribeirópolis e Nossa Senhora da Glória. A operação é fruto do trabalho conjunto entre as Delegacias de Campo do Brito, Macambira e São Domingos e da 1ª Companhia do 3º Batalhão de Polícia Militar (1ª Cia/3º BPM). O Grupamento Tático Aéreo (GTA) atuou com o objetivo de evitar fugas dos suspeitos ao cerco policial. 
 
Segundo o delegado Wilkson Vasco, a investigação obteve três vídeos com investigados ostentando armas de fogo. Em um deles, um investigado atira diversas vezes para o alto. O vídeo foi usado, por ele, a fim de confirmar a veracidade de suas ameaças e vingar a morte de um dos assassinados na luta pelo ponto de drogas. 


Devido ao forte combate às ações criminosas, realizado pelas polícias, Civil e Militar, o único local que ainda tinha uma criminalidade elevada nas três cidades era o conjunto Albano Franco, popularmente conhecido como “Serra”, em São Domingos.


Dezenas de denúncias apontaram que a “Serra” era um local onde organizações criminosas voltadas ao tráfico de drogas geravam temor à população, através de coação e extorsão, sempre com o uso de arma de fogo, assim como buscavam dirimir conflitos dos moradores locais da forma como queriam, impedindo que os mesmos buscassem o devido apoio policial e consequente julgamento democrático pelo Poder Judiciário.


A ação policial também conta com a participação da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), do Grupamento de Ações Táticas do Interior (Gati), da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci), Superintêndencia da Polícia Civil (Supci), Grupamento Operacional Especial (GOE), Companhia Independente de Operações em Área de Caatinga (Ciopac), Delegacias de Itabaiana, Ribeirópolis, Nossa Senhora Aparecida, Lagarto, Simão Dias, Maruim, Laranjeiras, Carira, Malhador, Moita Bonita, Nossa Senhora da Glória, Frei Paulo, Areia Branca, Ilha das Flores, Brejo Grande, Pacatuba, Malhada dos Bois, Cedro de São João, São Francisco e Estância, Grupamento de Operações com Cães (GOC - Guarda Municipal de Aracaju). 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação