Aracaju (SE), 03 de junho de 2020
POR: SSP/SE
Fonte: SSP/SE
Em: 28/04/2020 às 14h47
Pub.: 28 de abril de 2020

Seis delegados substitutos são nomeados pelo Governo de Sergipe


Eles irão atuar na constante melhoria da segurança pública de Sergipe.


Seis delegados substitutos são nomeados pelo Governo de Sergipe (Foto: SSP/SE)

Seis delegados substitutos são nomeados pelo Governo de Sergipe (Foto: SSP/SE)


Mais um importante passo foi dado na melhoria da segurança pública de Sergipe. Na última quinta-feira, 23, foi publicada, no Diário Oficial do Estado, a nomeação de seis candidatos para o cargo de delegado de polícia substituto. Antes da nomeação, eles passaram por instruções teóricas e práticas para exercerem a função de delegados de polícia, no interior do estado.


Os novos delegados passaram por aulas teóricas e práticas ministradas no Curso de Formação de Delegados Substitutos de Polícia Civil, ministrado na Academia de Polícia Civil (Acadepol). O curso teve início no dia 30 de outubro de 2019 e foi concluído em 4 de fevereiro deste ano. A solenidade de formatura foi realizada em 14 de fevereiro, com a presença dos novos delegados, autoridades e familiares no teatro Atheneu.


Ao longo de mais de três meses, os candidatos aprovados tiveram conteúdos práticos e teóricos repassados por 50 instrutores; totalizando 386 horas/aulas de ensino. Dentre as disciplinas do curso, estiveram presentes instruções sobre Armamento e Tiro, Procedimentos Policiais Eletrônicos (PPE), Estágio Supervisionado, Liderança e Motivação e Técnicas de Imobilização e Defesa Pessoal.


A delegada-geral Katarina Feitoza destacou a importância das nomeações dos novos delegados para a constante melhoria dos serviços da Polícia Civil no estado. “Esperamos, com a nomeação desses novos delegados de polícia, desses novos colegas, o início de uma oxigenação dos quadros. Precisamos de novos gestores à frente das delegacias”, citou.


Katarina explicou como os novos delegados serão distribuídos de forma estratégica pelo estado. “Estamos com uma defasagem muito grande especialmente no interior do estado com relação a delegados de polícia. Temos alguns municípios onde as acumulações já estão em um número muito grande, então precisamos diluir melhor essas acumulações para que o serviço prestado à comunidade sergipana seja cada vez melhor”, complementou.


“Aguardamos a nomeação de todos os delegados. E esses que agora estão chegando, nós esperamos deles muito comprometimento à frente das delegacias de polícia, como gestores, como chefes de suas unidades, investigando, atendendo a população e gerindo as unidades policiais de forma cada vez mais técnica e comprometida”, frisou a delegada-geral.


Dedicação e agradecimento
A nova delegada Lorena Oliveira da Rocha contou como se sente diante da aprovação no concurso e da nomeação na última quinta-feira. “Confesso que é difícil descrever em palavras. Passamos por nove diferentes fases. Um concurso com concorrentes do país inteiro. Então conseguir chegar ao final de toda essa caminhada e ver meu nome na lista de aprovados, é uma sensação de gratidão que eu jamais vou esquecer. Me sinto extremamente honrada de estar tendo essa oportunidade de ingressar em uma instituição tão respeitável como a Polícia Civil do Estado de Sergipe, estado que nasci e me criei, e também que escolhi para exercer minha profissão. Espero poder servir bem à população do meu estado”, agradeceu.


Ela destacou que a aprovação é o resultado do tempo de dedicação. “A gente menciona o concurso em si, que já é uma trajetória longa, mas isso sem contar os anos de estudo que antecederam a publicação do edital, um período de pura abdicação e resiliência. Parar agora e relembrar toda essa trajetória me enche de orgulho, mas também de vontade de colocar em prática o que antes era uma teoria nos livros”, complementou.


“Não podemos nos esquecer que o concurso é apenas um meio, não um fim em si próprio. É um meio que podemos utilizar para, depois de comprovar que estamos aptos a pertencer aos quadros da administração pública, atuar efetivamente em favor da coletividade, que é o real sentido de ser servidor público”, descreveu a nova delegada. 


Lorena Oliveira da Rocha reiterou a missão dos novos delegados da Polícia Civil de Sergipe. “Atuar como instrumento de transformação, de garantia dos direitos da sociedade e de combate tanto aos antigos, quanto aos novos tipos de criminalidade. Tenho certeza que a nomeação desses seis novos delegados, e futuramente de todos os outros, vai fazer muita diferença na vida dos sergipanos, que merecem e têm o direito constitucional de viver em paz, com tranquilidade e segurança”, frisou.


Superação e motivação
O novo delegado de polícia já é conhecido dos quadros da Polícia Civil. Alisson Danilo Costa Lial atua como policial civil e foi aprovado no concurso para delegado substituto. Ele contou como a experiência em unidades policiais de cidades como Itabaiana e Nossa Senhora das Dores foi fundamental para decisão de se tornar delegado.


“A experiência policial adquirida ao longo dos quatro anos, nutriu meu desejo de continuar servindo à instituição. Na delegacia de Nossa Senhora das Dores, eu pude ter experiência com todos os tipos de fatos investigados pela PC. Eu tive contato com todo o nosso cotidiano policial, todos os delitos que apuramos e os fatos atípicos que cotidianamente chegam à delegacia. Esse amor que eu tenho pela PC nasceu com o ingresso na instituição. Antes de eu ser policial civil, eu já tinha admiração pelo direito criminal”, mencionou.


Alisson tem a Polícia Civil como uma família. “Eu tive um acidente de trabalho em 29 de março de 2017. Eu tive o apoio da minha instituição. Tive o apoio do meu coordenador do interior à época, Fábio Pereira, tive o apoio do delegado Marcos Garcia, que ficou comigo em todo o momento, foi mais do que amigo, foi um parente. E de outros colegas, agentes e escrivães. Toda a equipe de Dores me deu total suporte. Eles sempre iam a minha residência para conversar comigo e nunca deixaram esmaecer esse brilho da instituição. Eles nunca deixaram que eu pensasse em outra coisa para minha vida que não fosse a segurança pública. O que mais me fascina nessa profissão é o poder de transformação que temos na sociedade”, revelou.


O novo delegado de polícia agradeceu a todos que seguem atuando na Polícia Civil de Sergipe e também aos familiares. “A minha entrega, minha dedicação será sempre a mesma, senão maior à instituição. Agradeço a todos que me ajudaram a chegar até aqui. À delegacia-geral, aos meus coordenadores, Fábio e Jonathas, aos meus colegas agentes e escrivães da Copci. Agradeço aos colegas das delegacias do interior e à minha família. Esse desejo de ser policial não partiu de assistir filmes e de ver séries, está ligado muito a servir ao público. Eu nasci para servir e me encontrei na Polícia Civil”, concluiu agradecendo.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação