Aracaju (SE), 03 de julho de 2020
POR: Marcio Rocha
Fonte: Marcio Rocha
Em: 24/01/2020 às 16h04
Pub.: 27 de janeiro de 2020

As nuvens se abrem no fim da tempestade :: Por Marcio Rocha


Marcio Rocha (Foto: Arquivo pessoal)

Marcio Rocha (Foto: Arquivo pessoal)

Com os resultados do CAGED de dezembro, foi finalizado o número de empregos gerados em Sergipe no ano de 2019, o dado foi bom e corrobora com o que a coluna pensava acerca da economia de nosso estado. Estamos nos caminhos do crescimento novamente. Foram 2.374 novos postos de trabalho criados, sendo esse o segundo ano consecutivo de elevação do emprego, mesmo diante da crise que atingiu como um uppercut o queixo do estado, que ainda se encontra cambaleante, mas reagindo na luta pelo desenvolvimento econômico. Foi muito difícil para Sergipe sobreviver a isso, pois entre 2015 e 2017, 22.170 trabalhadores sergipanos ficaram sem seu trabalho e isso encolheu o fluxo da economia, levando a quedas nas vendas do comércio. Uma grande tempestade que vivemos.


A bem da verdade, fatores como a regulamentação da terceirização, a reforma trabalhista e a permissão do trabalho intermitente, contribuíram para que o estado voltasse a crescer no estoque de empregos. Somando os dois últimos anos, são 3.215 novos postos de trabalho criados, mas são números que estão longe da realidade que desejamos, pois quase 19 mil empregos precisam ser recuperados. Entretanto, o caminho para voltar a crescer é esse e certamente, com a força do trabalho das pessoas, o poder transformador do empreendedorismo e o estímulo aos investimentos nas empresas, isso pode sim ser recuperado. 


O ano de 2019 ainda não será agradável para alguns setores da economia, a exemplo do próprio comércio, que deverá fechar os resultados com -1,5 a 2% de redução no volume de vendas. Mas já é algo melhor que 2014, 2015 e 2016, que sofreram com quedas vertiginosas das vendas, o que provocou desemprego em vários setores da economia. Aliás, todos as atividades econômicas. Contudo, a recuperação está cada vez mais clara e as aspirações para 2020 são as melhores possíveis. O crescimento no estoque de empregos é algo que deve ser comemorado, pois isso significa que há uma luz no fim do túnel e o consumidor sergipano, tal como o empresário do comércio, de acordo com pesquisas da Fecomércio, entendem que as coisas estão melhorando. Foram anos difíceis, mas que estão ficando como uma triste lembrança, para trás. As nuvens estão se abrindo.


Ainda é cedo para analisar o que pode acontecer neste ano. Todavia, o ânimo que contagia os sergipanos é algo que deve ser compartilhado. Oportunidades novas de negócios surgirão para as empresas, a política econômica desenvolvida pelo Governo Federal está no caminho certo e isso refletirá em nosso estado. Devemos lembrar que quando a crise estourou em 2014, Sergipe permaneceu imune em uma bolha protetora durante um ano. Demoramos a sentir os efeitos da crise e quando isso aconteceu foi de modo avassalador. Haja vista, os mais de 22 mil empregos perdidos no estado. Mas há um ar de esperança na terra do cacique Serigy, e ele deve ser inspirado. Com vontade e coragem, nosso estado irá acelerar na estrada do crescimento da economia, saindo de vez do lamaçal e voltando a ter sua força. A reconquista do que foi perdido se dará com muito trabalho, mas isso é uma vontade da classe empresarial de nosso estado. Trabalhar para gerar novos postos de trabalho.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação