Aracaju (SE), 18 de janeiro de 2022
POR: James Silva
Fonte: Fecomércio/SE
Em: 25/11/2021 às 17h30
Pub.: 26 de novembro de 2021

Empresas clandestinas de segurança privada são alvos de operação realizada pela Polícia Federal


Presidente do Sindesp-SE, Sandro Moura (Foto: Fecomércio/SE)

Presidente do Sindesp-SE, Sandro Moura (Foto: Fecomércio/SE)

Hoje (25) a Polícia Federal deflagrou a operação Segurança Legal V, que está ocorrendo em todos os estados do Brasil. O objetivo da operação é fiscalizar e combater as empresas clandestinas de segurança privada que atuam em todo o país. As atividades de todas essas empresas que atuam sem a regulamentação adequada serão encerradas.


De acordo com os dados divulgados pela Polícia Federal, 590 policiais, que atuam nas 95 unidades descentralizadas do órgão, estão realizando a fiscalização que vai acontecer em 565 estabelecimentos, entre casas noturnas, comércios e condomínios.


Essa operação vai garantir a segurança do próprio estabelecimento que contrata o serviço clandestino e, consequentemente, fortalecer o segmento de segurança privada em geral. Os profissionais que não possuem a aprovação da Polícia Federal, não puderam comprovar sua formação adequada para estar exercendo a função e nem possuem a aptidão física e psicológica necessária para este tipo de trabalho.


O presidente do Sindesp-SE, Sandro Moura, ressaltou a relevância dos estados estarem engajados nesta campanha.


“Este trabalho executado pela Policia Federal, órgão que regulamenta a nossa atividade de segurança privada, se faz necessário porque somente com a fiscalização conseguimos inibir a concorrência do preço inexequível. Nós contribuímos para o desenvolvimento da economia com a geração de empregos diuturnamente e hoje esta operação acontece a nível de Brasil. As empresas que não estão regulamentadas, que não possuem o registro da Polícia Federal e que não podem atuar no nosso segmento de segurança quando localizadas sofrem as sansões da Lei. Deixo o alerta para aqueles que ao contratar serviços de segurança privada armada ou desarmada deve ser solicitado à empresa o Alvará de Autorização publicado no Diário Oficial da União, com validade anual, que garante que a organização cumpre os requisitos legais estabelecidos pela Polícia Federal, só assim evitará problemas imediatos e futuros”.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação