03 de maio de 2019
POR: SES/SE
Fonte: SES/SE
Em: 03/05/2019 às 00h00

Higienização das mãos reduz riscos de infecções, alerta especialista


As mãos constituem a principal via de transmissão de microorganismos e é a parte do corpo mais contaminada, por isso, é importante higienizá-las de forma correta para controlar o risco de transmissão de germes. No ambiente hospitalar, esse hábito é ainda mais importante e essencial para a prevenção e redução das infecções, promovendo a segurança dos pacientes, profissionais e demais usuários dos serviços de saúde. No Dia Mundial de Higienização das Mãos, celebrado no dia 5 de maio, vale o alerta para que as instituições de saúde reforcem a conscientização da importância desse hábito simples incorporadas no dia a dia.


Higienização das mãos reduz riscos de infecções, alerta especialista (Foto: Flávia Pacheco/ SES/SE)

Higienização das mãos reduz riscos de infecções, alerta especialista (Foto: Flávia Pacheco/ SES/SE)


No Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), esse ritual é colocado em prática diariamente, colaborando para uma saúde individual e coletiva. “A higienização das mãos é, sem dúvidas, a rotina mais simples, eficaz e de maior importância no controle da disseminação de infecções, devendo ser praticada pelo profissional de saúde nos cinco momentos que é antes e depois do contato com o paciente, antes da realização de procedimento, após risco de exposição a fluidos biológicos, após contato com áreas próximas ao paciente, mesmo que ele não tenha sido tocado”, explicou a infectologista e coordenadora do Núcleo de Epidemiologia, Segurança do Paciente e Infecção Hospitalar (NESPIH/Huse), Iza Fraga Lobo.


As bactérias e germes encontrados nas mãos podem ser eliminados com a ação mecânica de higienização com água e sabão, além da formulação antiséptica de álcool a 70% em gel, eficaz contra todos os tipos de germes. O Huse tem estudos que mostram o impacto significativo que o aumento da adesão a higiene das mãos causa nas taxas de infecção. Corroborando com o que a literatura já diz, inclusive com impacto na redução da mortalidade por infecção hospitalar. Utilizar o álcool em gel é eficaz contra todos os tipos de germes, incluindo o vírus da gripe H1N1, além de comprovadamente eliminar mais de 90% das bactérias.


Quando lavar as mãos
As mãos devem ser higienizadas sempre, principalmente no início e no fim da jornada de trabalho, antes e após utilizar o banheiro, depois de manusear material contaminado, após assuar ou coçar o nariz, cobrir a boca para espirrar, antes de comer e beber ou manusear alimentos, após manusear lixo comum, biológico ou caixas de descarte de materiais perfuro cortantes, entre outros.


Em ambiente hospitalar, para realizar a higienização das mãos é fundamental retirar primeiramente anéis, pulseiras e relógio, ensaboar as mãos aproximadamente 3 a 5 ml de sabão (líquido), enxaguar as mãos e antebraços em água corrente abundante, enxugar as mãos com papel toalha ou realizar a higiene das mãos com 2 ml de preparação alcoólica.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco