15 de março de 2019
POR: CRO/SE
Fonte: CRO/SE
Em: 14/03/2019 às 00h00

CRO Sergipe alerta sobre cuidados com a saúde bucal de gestantes e bebês


[[PNG-50276-589020-E]]Neste mês da Mulher, o Conselho Regional de Odontologia de Sergipe (CRO-SE) alerta para a importância dos cuidados com a saúde bucal de gestantes e bebês. De acordo com a entidade, a gestação e o puerpério são considerados momentos cruciais para a promoção da Saúde e construção de autonomia, podendo ser a oportunidade ideal para o exercício de práticas e intervenções que impeçam o surgimento de doenças bucais preveníveis.


Mulheres grávidas com problemas de saúde bucal têm mais chances de ter parto prematuro e bebês com baixo peso. O organismo da gestante passa por variações hormonais que causam alterações na cavidade bucal, como hiposalivação, propensão à gengivite e enjôos que dificultam a higiene bucal, favorecendo a ocorrência de cárie e doença periodontal. Com um processo inflamatório crônico instalado nos tecidos ao redor dos dentes, os microorganismos presentes na placa bacteriana podem migrar para a corrente sanguínea, ocasionando a liberação de prostaglandinas e favorecendo a antecipação do parto.


Por isso, o CRO alerta para a necessidade de se redobrar os cuidados e seguir as importantes ações preventivas indicadas no pré-natal odontológico. “A gestante pode e deve receber tratamento odontológico em qualquer época. No entanto, o segundo trimestre da gestação é o mais indicado, pois nessa fase, a gestante se encontra em período mais estável”, explica o presidente do CRO-SE, Anderson Lessa Siqueira. Ainda segundo ele, é importante fazer a escovação correta após as refeições, usar fio dental e creme dental com flúor; reduzir o consumo de açúcar; e, claro, fazer o acompanhamento com um cirurgião-dentista.


Mas prevenir e solucionar problemas de saúde bucal durante a gestação promove saúde e qualidade de vida não só para a mãe, mas também para o bebê. “Crianças comumente copiam os hábitos de higiene bucal dos pais enquanto crescem. Então é importante começar e manter hábitos saudáveis mesmo antes do bebê nascer”, alerta o presidente do CRO-SE. Ele pontua que é um grande erro pensar que bebês não precisam ir ao dentista. “É muito importante que ele faça sua primeira visita entre os 06 e 12 meses. Depois, os agendamentos serão feitos de acordo com a necessidade dele. Segundo a Academia Brasileira de Odontopediatria, com visitas regulares, cria-se o vínculo de confiança entre família-profissional-criança, importante para o sucesso das ações odontológicas preventivas”, explica Anderson.


O Conselho também ressalta a importância da amamentação. Para além de fornecer os nutrientes necessários ao crescimento, o aleitamento materno possibilita que o bebê realize o estímulo dos músculos faciais, promovendo a respiração nasal e o desenvolvimento das arcadas dentárias. “Os dentinhos se desenvolvem, de maneira ritmada, em aproximadamente 24 meses. Esse é o tempo que todos os dentes de leite levam para se posicionar na boca - mesmo tempo indicado para que o bebê permaneça sendo amamentado. Por vezes, o desenvolvimento insuficiente das arcadas dentárias dá origem a problemas ortodônticos”, conclui o presidente do CRO-SE.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação