04 de fevereiro de 2019
POR: Lara Aguiar
Fonte: Assessoria
Em: 04/02/2019 às 16h14

MD Codes: nova técnica de rejuvenescimento instantâneo


Especialista conta como o ácido hialurônico pode redefinir os contornos do rosto.


Você já parou pra pensar como é que as celebridades, mesmo com o passar dos anos, ficam mais jovens e mais bonitas? Como a pele dessas pessoas parece estar em perfeita harmonia? Você se pergunta se elas fizeram algum procedimento estético? Pois temos uma resposta para tantas questões: é uma novidade chamada MD Codes (Medical Codes).


Mas em que consiste o MD Codes? Trata-se de uma técnica de rejuvenescimento desenvolvida pelo cirurgião plástico brasileiro Maurício de Maio. Essa técnica utiliza códigos (letras e números) nos pontos em que se pode aplicar o ácido hialurônico para realizar a sustentação facial (efeito lifting), restruturação e redefinição dos contornos do terço inferior da face, os quais são perdidos com o passar do tempo, bem como realizar o tratamento dos sulcos e depressões, tratar assimetrias e embelezar determinadas áreas como os lábios.


Cirurgião plástico Dr. Ricardo Araújo (Foto: Jadilson Simões)

Cirurgião plástico Dr. Ricardo Araújo (Foto: Jadilson Simões)

Mas o que essa técnica inovadora proporciona à pele do paciente? O cirurgião plástico Dr. Ricardo Araújo conta que através da aplicação do ácido hialurônico em determinados pontos faciais é possível trazer um rejuvenescimento e um embelezamento dos pacientes por meio de um método seguro e com efeitos impactantes e naturais, isso quando realizado por mãos treinadas, claro. “É importante frisar também que o ácido hialurônico, uma vez injetado, realiza um estímulo para neocolagênese (produção de colágeno novo). Por esse efeito é que, mesmo depois de transcorrido o período da reabsorção do ácido hialurônico injetado, o paciente apresenta um aspecto mais jovial quando comparado ao período que antecede à aplicação, apesar do paciente ter envelhecido cronologicamente”, disse.


Dr. Ricardo Araújo explica que existem dois perfis de pacientes para realização do procedimento: aquele mais jovem, com idade entre 18 e 35 anos, que busca o MD Codes para realizar um embelezamento facial com projeção da região zigomática malar (o tão desejado “top model look”), o tratamento de alguns sulcos como o nasojugal (chamado olheiras) e sulco nasogeniano (bigode chinês), projeção anterior do mento em pacientes retrognatas, bem como definição, projeção e volume dos lábios; e existe aquele paciente com mais de 35 anos que já apresenta perda de gordura e reabsorção óssea em graus variados e que, além das necessidades acima, irá requerer uma intervenção mais direcionada na sustentação (lifting) e no tratamento da perda de contorno do terço inferior da face, buscando melhorar e tratar a queixa da sensação de que o “rosto está derretendo”, relatada por alguns pacientes.


“Para a realização do procedimento é necessário que o paciente esteja saudável e que não esteja gestante e nem amamentando. Em pacientes portadores de doenças autoimunes (lúpus, artrite reumatoide), existe uma contraindicação relativa que irá depender da atividade da doença e da avaliação do reumatologista. Não são necessários exames complementares”, informa Dr. Ricardo, acrescentando que a recuperação é muito tranquila: “Pode haver vermelhidão e inchaço nas áreas tratadas e em alguns casos discretas equimoses por sangramento de micro vasos. Orienta-se gelo e fotoproteção no pós-procedimento. Retorno às atividades laborativas é imediata e às atividades físicas com 24 horas”.


Efeitos e retoques
Os efeitos da técnica MD Codes são imediatos. De acordo com o cirurgião plástico, a autoestima se eleva assim que o procedimento é finalizado. Contudo, pela questão dos pequenos inchaços que podem ocorrer, o paciente é reavaliado com 15-30 dias. Após avaliação do paciente, são determinados os pontos do MD Codes que ele necessita e a quantidade de seringas de ácido hialurônico que serão necessárias para se chegar ao resultado desejado. Nesse momento, o paciente é analisado conforme o seu padrão de envelhecimento e a melhor ordem de tratamento. E é baseado nessa ordem que são realizadas as sessões do MD Codes. Após concluído o procedimento, o paciente retorna a cada 1-2 anos para manutenção de resultados.


Segundo Dr. Ricardo Araújo, a técnica traz um efeito “bichectomia simile” por afinar o rosto do paciente ao sustentar e projetar o terço médio e definir o contorno do terço inferior. Outra dúvida que ele esclarece é sobre a diferença entre o uso de ácido hialurônico e o uso de toxina botulínica. “A toxina botulínica trata rugas dinâmicas (de expressão facial) e previne rugas estáticas. São indicações diferentes do MD Codes com ácido hialurônico e que são muito comumente associadas”, informa.


Com a divulgação da técnica pelos veículos de informação e redes sociais, muitos pacientes já buscam o cirurgião plástico e dermatologista com o desejo de dar volume e definição nos lábios, projeção zigomática-malar (“Top model look”). Entretanto, é na consulta clínica dos pacientes que buscam um protocolo de rejuvenescimento que o médico injetor irá indicar o MD Codes conforme a necessidade de cada paciente. “É importante frisar que nem todos os pacientes irão se beneficiar da realização de todos os pontos. A avaliação e a aplicação é individualizada e é nesse ponto que se encontra a arte do método”, afirma Dr. Ricardo, alertando que a técnica deve ser realizada por médicos cirurgiões plásticos e dermatologistas treinados e credenciados à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco