15 de abril de 2019
POR: Fan F1
Fonte: Fan F1
Em: 15/04/2019 às 11h28

2020: Rogério Carvalho defende candidatura própria do PT à prefeitura de Aracaju


Depois do vice-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Márcio Macedo, nesta segunda-feira, 15, foi a vez do senador da República, Rogério Carvalho defender o lançamento de uma candidatura própria da chapa à prefeitura de Aracaju (SE).


2020: Rogério Carvalho defende candidatura própria do PT à prefeitura de Aracaju (Foto: Via Fan F1)

2020: Rogério Carvalho defende candidatura própria do PT à prefeitura de Aracaju (Foto: Via Fan F1)


Segundo Rogério, ainda é cedo para se discutir a sucessão municipal, mas já apontou que uma candidatura própria PT é razoável. “Já tivemos uma experiência bastante exitosa com o PT na prefeitura, sob o comando de Marcelo Déda. Portanto é natural que se discuta o assunto e vendo-se que há condições, se lance a chapa”, afirmou.


O PT faz parte da base aliada do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B). O lançamento de uma candidatura própria pelo PT, acarretaria no rompimento político  com Edvaldo, mas Rogério negou que defenda o rompimento e destacou que tem uma ótima relação com o prefeito.


Questionado se estaria isolado no PT, já que Marcio Macedo tem indicações na gestão e o deputado federal João Daniel (PT) conseguiu encaminhamentos para que seu filho assumisse a vaga de vereador , o senador disse que todos os posicionamentos tomados pro João Daniel e Márcio Macedo foram com seu conhecimento e com seu aval.


“Lava Toga”
Na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Rogério Carvalho foi o relator do processo que avaliou a admissibilidade da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Tribunais Superiores, chamada de “Lava Toga”. Ele emitiu parecer contrário à criação da CPI e justificou que não é papel do Senado questionar a jurisdição do Poder Judiciário.


“O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (Dem/AP) já havia se posicionado quanto a isto. A atividade jurisdicional é exclusiva de membros do judiciário. Não cabe ao legislativo questionar as decisões de juízes e desembargadores. Para isto, existem instituições constituídas”, pontou.


Durante a entrevista, o senador Alessandro Vieira (Rede), pediu para fazer uma intervenção e ponderou que a CPI surge a partir da sociedade, que cobra transparência. “Apresentei 13 fatos que justificam a criação da CPI, nenhum deles foram derrubados por Rogério. A turma de Rogério é a de Renam Calheiros (MDB), Humberto Costa (PT) e um galera com problemas na Justiça. A minha turma foi eleita de forma independente, sem rabo preso”, destacou Alessandro.


Rogério Carvalho, preferiu não rebater às declarações.


A CPI proposta por Alessandro ainda será levada ao plenário do senado, mas na CCJ já foi rejeitada por 19 a 7.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco