06 de dezembro de 2018
POR: Ana Paula Viana
Fonte: Oi Comunicação Corporativa
Em: 05/12/2018 às 17h08

Oi firma parceria estratégica com a Nokia para transformação da rede, com foco em atender demanda futura por banda larga fixa e móvel no Brasil


· Parceria faz parte de novos contratos com fornecedores mundiais para sustentar projeto estruturante de expansão de cobertura de telefonia móvel e banda larga por fibra ótica prevista no Plano de Recuperação Judicial e nos investimentos negociados com credores.


· Expansão da rede de transporte óptico possibilita aumentar velocidade e capacidade de rede e melhorar o desempenho do serviço de banda larga.


· Projeto prevê adoção de tecnologia que unifica os serviços 2G, 3G e 4G em um único equipamento, preparando todo o espectro de frequências da Oi para a tecnologia 4,5G, deixando também a rede preparada para o 5G, além de melhorar o desempenho da banda larga residencial através da expansão do acesso FTTH e da expansão do acesso IP (Single Edge).


· A parceria prevê também a introdução de ferramentas para aprimorar o suporte da conexão dentro da casa do cliente e uma consultoria do Bell Labs para avaliação de oportunidades e apoio ao processo de transformação da Oi.


CEO global da Nokia, Rajeev Suri, e o CEO da Oi, Eurico Teles, em ato na Finlândia de formalização de parceria entre as duas empresas (Foto: Oi Comunicação Corporativa)

CEO global da Nokia, Rajeev Suri, e o CEO da Oi, Eurico Teles, em ato na Finlândia de formalização de parceria entre as duas empresas (Foto: Oi Comunicação Corporativa)


A Oi firmou nesta terça-feira (04/12) com a Nokia uma parceria tecnológica de longo prazo para atender à demanda crescente por conectividade no Brasil. A iniciativa faz parte da reestruturação operacional prevista no plano de recuperação judicial da Oi, que está focado na expansão da rede de fibra ótica e no aumento da cobertura de dados móvel. A parceria estratégica com a Nokia faz parte de novos contratos celebrados com fornecedores de equipamentos para sustentar a transformação de toda a rede de banda larga fixa e móvel da Oi. Além de possibilitar a expansão da cobertura de fibra ótica residencial e banda larga móvel, o projeto deixa a rede da companhia preparada para a chegada do 5G, quando esta tecnologia estiver disponível no Brasil.


Essa é a segunda parceria estratégica firmada pela Oi com este propósito. Um novo modelo de negócio foi adotado para a implantação da fibra ótica até a casa do cliente (Fiber To The Home – FTTH), possibilitando à Oi ampliar e acelerar a oferta dos serviços Oi Fibra e Oi TV. Além de dar sustentação ao projeto estruturante, a negociação com os fornecedores poderá contribuir para maior eficiência operacional a partir da consolidação de fornecedores por tecnologia e/ou por região na área de atuação da Oi.


A parceria com a Nokia foi formalizada nesta terça-feira na sede da empresa, em Espoo, na Finlândia. Participaram do ato o presidente da Oi, Eurico Teles, e o diretor de Operações da companhia, José Claudio Moreira Gonçalves, além do diretor de Engenharia, André Ituassu. Da parte da Nokia, estiveram presentes Rajeev Suri, CEO; Ashish Chowdhary, Chief Customer Operations Officer; Ricky Corker, presidente Norte América; Osvaldo Di Campli, presidente América Latina e Bruno Leite, diretor de vendas Brasil.


“Com mais essa parceria tecnológica de longo prazo, esperamos consolidar nossa rede de fornecedores e nos beneficiar de maior eficiência operacional conforme prosseguimos com nosso processo de reestruturação. O intuito é trazer o que há de mais avançado em conectividade para nossos clientes, proporcionando a eles uma experiência cada vez melhor com nossos serviços”, afirma Eurico Teles. “Com nosso portfólio, que vai de ponta a ponta em tecnologia e serviços, conseguimos oferecer, a operadoras como a Oi, novos recursos em serviços fixos e móveis, no caminho para o 5G”, completa Osvaldo Di Campli, presidente de Nokia para América Latina.


A partir do acordo assinado com a Nokia, a Oi espera alcançar novos patamares de velocidade, capacidade e desempenho em sua rede e expandir sua atuação no mercado de FTTH. Na fibra ótica residencial, a companhia espera chegar a 10 milhões de residências passadas com fibra (homes passed) até o final de 2021. A Nokia e a Oi também esperam evoluir a qualidade do serviço de banda larga residencial, pela adoção de novos modelos que melhorem os serviços Oi Fibra e Oi TV, assim como a própria experiência do cliente. Essas soluções incluem Beacons Nokia WiFi, bem como a utilização de plataformas de gerência do ambiente WiFi da casa do usuário, melhorando a cobertura e performance do serviço de ultra banda larga. A solução deverá estar disponível aos clientes da Oi em diferentes pontos de venda pelo país, sob demanda, por meio de um contrato de revenda entre as empresas. Além disso, a Nokia, através de uma consultoria do Bell Labs, estará também dando suporte à Oi na avaliação de oportunidades e na transformação do seu negócio.


A Nokia espera contribuir para a ampla expansão da rede de acesso óptico e de transporte IP da Oi. A rede de transporte óptico será a espinha dorsal (backbone) de serviços de fibra residencial de alta velocidade e será combinada com a rede de acesso por rádio Nokia AirScale, para a banda larga móvel.  Com a implantação da rede AirScale Single Radio Access, a Oi espera oferecer serviços de dados em telefonia móvel de alta velocidade, permitindo a atualização por software para atender também o 5G quando estiver disponível no país. O plano estratégico da Oi foi desenhado para orientar ainda os investimentos na adequação da rede móvel para as soluções de internet das coisas (IoT).


O novo modelo de negócio para implantação de fibra ótica, que busca maximizar a rentabilização dos ativos existentes na Oi e associar a realização de novos investimentos ao resultado das vendas de serviços em cada região do país, poderá ser potencializado com os novos contratos. A Oi vem investindo num formato just in time, evitando a construção de infraestrutura ociosa e atendendo com mais precisão à demanda dos clientes por uma banda larga mais robusta. Este modelo já foi implantado nos 25 municípios em que a Oi disponibilizou suas ofertas de FTTH este ano e poderá ser acelerado com a expansão da rede da companhia.


Os novos contratos preveem que os projetos sejam concluídos em até cinco anos, podendo ser antecipados. O processo de transformação da rede da Oi já teve início e vem sendo realizado com recursos previstos no orçamento deste ano.


Nota Especial Com Relação a Declarações Prospectivas
Essa comunicação contém declarações prospectivas de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act of 1995 e a regulação Brasileira aplicável. Declarações que não sejam fatos históricos, incluindo as crenças e expectativas da Oi, estratégias de negócios, futuras sinergias e poupança de custos, custos futuros e liquidação futura são declarações prospectivas. As palavras “será”, “deverá”, “deveria”, “poderia”, “antecipa”, “pretende”, “acredita”, “estima”, “espera”, “prevê”, “planeja”, “alvos”, “objetivo” e expressões similares, caso estejam relacionadas à Oi ou às suas administrações, destinam-se a identificar declarações prospectivas. Não há garantia de que os eventos esperados, tendências ou resultados esperados realmente ocorrerão. Tais declarações refletem as visões atuais da administração da Oi e estão sujeitas a diversos riscos e incertezas. Tais declarações são baseadas em diversas premissas e fatores, incluindo condições gerais de economia e de mercado, condições industriais, aprovações societárias, fatores operacionais e outros fatores. Quaisquer mudanças em tais premissas ou fatores poderiam causar diferenças materiais entre os resultados atuais e expectativas atuais. Todas as declarações prospectivas atribuíveis à Oi ou a suas afiliadas, ou pessoas atuando em seu nome, são expressamente qualificadas em seu todo pelas declarações cautelares estabelecidas neste parágrafo. Qualquer confiança indevida não deverá ser inserida nessas declarações. As declarações prospectivas fazem referência apenas ao momento a partir da data em que foram feitas, salvo conforme previsto na legislação federal de valores mobiliários do Brasil e dos EUA ou nas regras e regulação da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”), da U.S. Securites and Exchange Commission (“SEC”) ou de entidades reguladoras de outros países aplicáveis. A Oi e suas afiliadas renunciam qualquer obrigação de atualizar, revisar ou publicamente anunciar os resultados de quaisquer revisões de quaisquer declarações prospectivas para refletir resultados atuais, eventos ou desenvolvimentos futuros, mudanças nas premissas ou mudanças em outros fatores que afetem as declarações prospectivas. No entanto, é aconselhável consultar outras divulgações feitas pela Oi em assuntos e comunicações relacionados que a Oi arquive perante a CVM e à SEC.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco