06 de agosto de 2019
POR: COB
Fonte: COB
Em: 04/08/2019 às 21h00

Jovem equipe do Conjunto brasileiro de GR conquista mais uma medalha em Lima 2019, agora na prova de cinco bolas


Brasil também garante duas finais na ginástica de trampolim, com Camilla Lopes Gomes e Rayan Victor Dutra.


Jovem equipe do Conjunto brasileiro de GR conquista mais uma medalha em Lima 2019, agora na prova de cinco bolas (Foto: Ricardo Bufolin/ CBG)

Jovem equipe do Conjunto brasileiro de GR conquista mais uma medalha em Lima 2019, agora na prova de cinco bolas (Foto: Ricardo Bufolin/ CBG)


O Brasil conquistou mais uma medalha de bronze no conjunto da Ginástica Rítmica dos Jogos Pan-americanos Lima 2019. Neste domingo, dia 4, a equipe formada por Beatriz Silva, Camila Rossi, Deborah Medrado, Nicole Pircio e Vitória Guerra chegou ao pódio na prova de cinco bolas, repetindo o bronze alcançado no sábado na disputa geral. 


A jovem equipe brasileira chegou ao Ginásio Villa Deportiva El Salvador em vantagem por ter se classificado em primeiro lugar na sexta-feira, mas não conseguiu manter o nível de apresentação, marcando 22,100 pontos. Após protesto, a nota do Brasil subiu para 22,500 pontos, ainda inferior ao México, que conquistou o ouro, e aos Estados Unidos, com a prata.


“Fizemos uma boa apresentação, mas cometemos uma falha que nos tirou muitos pontos. Quase que Cuba nos ultrapassa, mas graças a Deus nós conseguimos levar essa medalha parra o Brasil. Foi suado”, disse Deborah Medrado, capitã da equipe brasileira. “Esse é o primeiro Pan de todas nós. Somos uma equipe jovem, em formação. Então conquistar uma medalha em um campeonato tão importante é um sonho realizado”, completou Deborah. 


Para a Coordenadora de seleções da Confederação Brasileira de Ginástica e treinadora da seleção de conjunto da GR do Brasil, Camila Ferezin, a equipe brasileira foi bem superior à de Cuba, quarta colocada. 


“O grau de dificuldade da nossa apresentação é muito maior do que o das cubanas. Por isso, mesmo cometendo um erro, nós conquistamos essa medalha. Nossa coreografia tem movimentos muito mais difíceis, pegando o aparelho sem as mãos, fora do campo visual. Essa equipe ainda vai dar muito orgulho ao Brasil. São meninas de ouro que estão vivendo uma experiência incrível aqui e amadurecendo para as próximas competições”, afirmou a medalhista de ouro nos Jogos Pan-americanos Winnipeg em 99, como atleta, que estreou como técnica no Pan de Guadalajara, em 2011.


O conjunto brasileiro disputa ainda a final da prova mista (três arcos e dois pares de maças), nesta segunda. “Amanhã teremos mais uma chance de competir e fazer a nossa série sem erros, como estamos acostumadas a fazer”, disse Deborah.


Trampolim
Além do bronze conquistado neste domingo, 4, na GR, Camilla Lopes Gomes e Rayan Victor Dutra asseguraram vaga nas finais individuais da Ginástica de Trampolim, que serão realizadas nesta segunda-feira, no Poliesportivo de Villa El Salvador. 


Neste domingo, Camilla Gomes ficou no segundo lugar, marcando 99,375 pontos na soma das séries (obrigatória e livre). “O objetivo era fazer as duas séries completas e conseguir me classificar na melhor posição possível”, disse a brasileira. 


Já Rayan Dutra somou um total de 103,440 pontos e terminou o qualificatório na quarta colocação. “A série obrigatória foi muito boa. Troquei um elemento no final, mas no geral ocorreu tudo bem. Já minha série livre foi totalmente nova e teve um bom resultado. Estou feliz demais de ter chegado à final do Pan”, disse Rayan, de apenas 17 anos, que participa de sua primeira competição entre adultos.


A jovem Alice Hellen Gomes cometeu uma falha em sua segunda apresentação e terminou em 11º lugar (53,320). Com apenas 20 anos, a atleta mineira vinha se destacado na competição e mostrou potencial para seguir na seleção brasileira nas principais competições do calendário internacional. 

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação