15 de julho de 2019
POR: Jornal da Fan/ Fan F1
Fonte: Jornal da Fan/ Fan F1
Em: 09/07/2019 às 17h10

Irmã de Irmã Dulce fala sobre sua convivência com o "Anjo Bom da Bahia"


Irmã de Irmã Dulce fala sobre sua convivência com o "Anjo Bom da Bahia" (Foto: Via Fan F1)

Irmã de Irmã Dulce fala sobre sua convivência com o "Anjo Bom da Bahia" (Foto: Via Fan F1)

A irmã de Irmã Dulce, Ana Maria Lopes Pontes, falou com exclusividade ao Jornal da Fan, na tarde desta terça-feira, 9. Ela mora em Salvador e falou por telefone, contando algumas curiosidades vivenciadas por ela, a caçula de cinco irmãos.


“A diferença entre de idade entre nós duas era de 26 anos; não participei da decisão dela se tornar religiosa, mas acompanhei a sua vida de dedicação aos pobres e no agravamento da doença, consegui me afastar da empresa  e fiquei por 15 anos ajudando Dulcinha”, disse Ana Maria bastante emocionada ao relembrar passagens da vida da irmã que será canonizada no dia 13 de outubro.


Ana Maria contou na entrevista que, além de irmã, é comadre de Irmã Dulce. O filho caçula dela nasceu no mesmo dia do Anjo Bom da Bahia, 13 de maio, e foi batizado por ela. Atualmente, o afilhado e sobrinho de Irmã Dulce mora em Aracaju e toda a família é bastante religiosa.


“Dulcinha era muito bonita, a aura dela era de toda pureza e conviver com ela nos fez melhor. A gente quando vai nas obras deixadas por ela, sai leve e sente a presença dela por lá. Sabemos que ela está por lá tomando conta de tudo como sempre fez”, relatou com a voz embargada.


Passagem curiosa
Ana Maria relembrou que nas ocasiões em que a instituição passava por dificuldades financeiras mais graves, Irmã Dulce botava Santo Antônio no relento. “Era certo, no outro dia, vinha a abundância”, disse.


Irmã Dulce era filha de Dulce Maria de Souza Brito e do dentista e professor da Universidade Federal da Bahia,  Augusto Lopes Pontes.  Para Ana Maria, Irmã Dulce era o coração da instituição que criou, e o pai delas era o cérebro. “Papai era o cérebro, ajudou Dulcinha a criar”, contou.


Viagem marcada
Ana Maria conta as horas para o dia 13 de outubro. A caçula da família irá acompanhar de perto a cerimônia de canonização da irmã Santa. “Estarei lá, vou ver tudo ao vivo e a cores no dia 13 e no dia 20, será aqui em Salvador, com muitas cores e hinos, porque aqui permite, mas lá, em Roma, é preciso seguir os ritos da Igreja”, disse a irmã que continua assistindo e apoiando as obras sociais deixadas por Irmã Dulce. “Ela se foi, mas deixou aqui na terra suas obras que têm prosperado muito, porque agora ela está lá no céu, intercedendo por elas e por nós, diretamente ao Pai”, falou com emoção e muita fé.

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Apresentação