22 de março de 2019
POR: UFS
Fonte: UFS
Em: 20/03/2019 às 14h16
Atualizada: 20/03/2019 às 15h28

Nota de esclarecimento da UFS sobre risco de incêndio no Campus de Lagarto


Administração prestou informações sobre suposto vazamento de gás na cozinha instalada no Centro de Simulações e Práticas.


"Nota de esclarecimento sobre risco de incêndio no Campus de Lagarto


A administração da Universidade Federal de Sergipe (UFS) vem a público prestar informações sobre divulgação de risco iminente de incêndio no Campus de Lagarto decorrente de suposto vazamento de gás na cozinha do Hospital Universitário Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro, provisoriamente instalada no Centro de Simulações e de Práticas desde 10 de fevereiro de 2019.


O Laboratório de Técnica e Dietética, laboratório-escola onde está temporariamente alocada a cozinha do hospital, foi considerado viável para tal por operar com divisões do preparo das refeições em pias ou bancadas exclusivas para cada unidade de manipulação. Além disso, seu fluxo operacional organiza as refeições de forma a serem transportadas em caminhão baú fechado, com cabine isolada, em embalagens descartáveis e caixas termobox até o hospital, com registro de controle da temperatura, obedecendo a legislação vigente.


Devido a relatos de cheiro de vazamento de gás, foram feitas duas inspeções no sistema de gás GLP do prédio. Uma das inspeções foi feita pela empresa EquipeGás no dia 29 de janeiro de 2019 sob o número de anotação de responsabilidade técnica SE20190150552. A outra inspeção ocorreu por técnicos da EBSERH no dia 01 de março de 2019 sob o número 232.32019. Em nenhuma delas foi detectado vazamento ou qualquer avaria que tivesse afetado a rede de gás, tendo sido realizado, inclusive, o teste comprobatório de estanqueidade.


Desse modo, fatores como a troca de cilindro nos dias 03, 11 e 18 de março de 2019 podem ter acarretado o cheiro de gás relatado. Outro ponto a se considerar é o tipo de sistema de refrigeração de ar, chamado Fluxo de Gás refrigerante Variável (VRF), o qual tem condensadora central, dutos de ventilação e evaporadoras interligados. Tais condensadoras, ao fazerem a troca de ar, sugam o ar com o cheiro (cozimento, fritura, gás), expele-os e troca-os pelo ar puro. Esse odor fica por um tempo na tubulação e se espalha pelos dutos até a sua troca completa, podendo se espalhar para os demais ambientes.


Outrossim, informamos que não houve solicitação formal de reunião pelo Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos da UFS (SINTUFS) com a direção do campus de Lagarto, motivo pelo qual estas informações não foram anteriormente repassadas. Salientamos, igualmente, que não há notificação formal do Corpo de Bombeiros, o qual teria sido supostamente acionado em 09 ocorrências. Destaca-se, da mesma forma, que, conforme reunião ordinária do Conselho de Centro do campus de Lagarto, ocorrida em 27 de fevereiro de 2019, o chefe do Departamento de Farmácia negou que tenha havido cheiro forte e que seus técnicos presentes tiveram que deixar os laboratórios às pressas.


A administração da UFS ratifica sua missão de contribuir para o progresso da sociedade, sobretudo em Sergipe, do qual fazem parte os diversos pacientes, acompanhantes e funcionários do Hospital Universitário Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro. Com o espaço cedido pela UFS para que a cozinha provisória funcione enquanto readequa-se a cozinha do hospital às normas vigentes, as mais de 700 refeições diárias podem ser preparadas sem prejuízo à saúde e à vida dos que delas necessitam, sem desassistência e priorizando a integridade da vida.


A REITORIA"

Matérias em destaque

Click Sergipe - O mundo num só Click

Fale Conosco